Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Quarentena de um dos primeiros casos de Capital termina amanhã; três continuam internados

Neto de Ueze Zahran e namorada ficaram 14 dias trancados no quarto, ele em SP e ela em Campo Grande
25/03/2020 11:00 - Daiany Albuquerque


 

A jovem Thayany Silva, de 23 anos, que foi uma das primeiras pessoas a ter o resultado positivo para o Covid-19, o novo coronavírus, em Campo Grande deixará o isolamento total a partir de quinta-feira (26), quanto terminam os 14 dias de quarentena que lhe foram indicados.

Segundo a estudante, durante este período ela não desenvolveu nenhum sintoma da doença, apesar de ter tido o resultado positivo. Já o namorado, Ueze Zahran Stamatis, que mora em São Paulo, teve febre, dor no corpo e nos olhos. “Ele teve sintomas leves, mas eu não senti nada”, contou.

Thayany conta que seguiu as orientações do médico no período e ficou esse tempo trancada no seu quarto, na casa dos pais, em Campo Grande. Mesmo assim não teve contato com a família nem na hora de se alimentar. “Eles colocavam minha comida na porta, quanto eles saiam eu pegava e depois devolvia. Eles lavavam minha louça separada e com luvas”, explicou.

O diagnóstico de novo coronavírus da jovem foi confirmado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) no dia 12 deste mês, entretanto, como o namorado já havia tido o resultado antes, os 14 dias foram contabilizados dessa data. Em entrevista ao Correio do Estado, Ueze lembra que um tempo antes de saber que estava com Covid-19 viajou com a namorada para o Rio de Janeiro, então os dois não sabem se contraíram a doença na capital paulista ou na carioca.

Apesar de já poder voltar ao convívio da família, a jovem parece um pouco receosa, pelo fato de não saber se está realmente sem a doença. De acordo com a jovem, ela gostaria de fazer um segundo exame, de pós quarentena, para saber se não está mais com a enfermidade. “Eu queria fazer o exame, mas os médicos disseram que não tem necessidade e que a preferência são para os casos graves”.

A situação de Thayany, entretanto, é diferente do primeiro caso de Campo Grande, o do cônsul da Síria Kabril Youssef, que foi primeiramente internado no Proncor e depois transferido para o hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ele continua internado e seria transferido para uma unidade semi-intensiva nesta quarta-feira.

Com 66 anos, o cônsul faz parte do grupo de risco da doença, que afeta principalmente pessoas acima dos 60 anos ou com algum tipo de comorbidade. Apesar de a confirmação da SES ter se dado apenas no dia 14 deste mês, o Proncor afirmou que o Youssef foi o primeiro paciente com a doença a passar pelo hospital.

Durante toda a semana passada o cônsul sírio esteve entubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Sírio Libanês. Porém, na terça-feira o irmão de Kabril, Michel Youssef, afirmou que o quadro dele teve uma melhora. “Meu irmão foi desentubado, e amanhã (quarta-feira) vai sair da UTI para semi-intensiva. E isso já é uma grande vitória, ele está se recuperando, graças a Deus e as orações de todos vocês”, publicou em sua rede social.

O segundo paciente de Campo Grande que segue internado, um homem de 38 anos, segue em estado grave na UTI do Proncor. Segundo o hospital, ele tem evoluído bem nos últimos dias, mas o quadro segue sendo grave e ele continua respirando com a ajuda de equipamentos.

Já o terceiro internado, também no Proncor, tem 46 anos, é do grupo de risco por ter doenças preexistentes, mas está estável e já foi levado para o quarto.

 

Felpuda


Pré-candidato pode estar sendo “fritado” sem ao menos perceber. Redes sociais que têm estreitas ligações com ex-cabecinhas coroadas e que prometeram apoio estão enaltecendo que só certo pré-candidato de outro partido. Quem conhece as ditas figurinhas de, digamos, outros carnavais, acredita que está em curso operação sorrateira para mudar internamente os rumos da futura campanha. Trocando em miúdo: ceder a cabeça de chapa.