Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

"Quando houver vacina para o coronavírus, eles vão ficar em casa?", dispara Mandetta sobre movimento anti-vacina

Ministro fez um duto contra-ataque ao movimento anti-vacinação
27/02/2020 15:56 - Eduardo Miranda


 

Em entrevista coletiva para falar sobre as ações do governo brasileiro para impedir que uma epidemia do novo coronavírus no Brasil depois de o primeiro caso confirmado, o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta fez um duro ataque aos defensores do movimentos contra as políticas de imunição: “eu pergunto ao pessoal do movimento anti-vacina, se quando houver uma vacina do novo coronavírus, se eles vão abrir mão da vacina e ficar em casa”, afirmou o ministro.  

Mandetta também elogiou o trabalho do sistema de vigilância em saúde do Brasil, e afirmou que as autoridades de saúde não podem perder o foco: “Sempre sabíamos que os primeiros pacientes procurariam a rede privada, até porque muitos deles fazem turismo no exterior ou viajaram a trabalho”. O paciente confirmado com novo coronavírus em São Paulo tem 61 anos, e foi diagnosticado depois de ter procurado o Hospital Albert Einsten.

O ministro também voltou a lembrar a possibilidade de antecipar a campanha de vacinação contra a gripe no Brasil. A campanha, inicialmente programada para começar no dia 13 de abril e ser realizada até meados de maio, deverá ter início já em 23 de março, segundo Mandetta.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.