Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

PROTESTO

Protesto de dívidas em cartórios não terá custo para credor

26 SET 19 - 09h:35IZABELA JORNADA E ADRIEL MATTOS

Empresários de Mato Grosso do Sul passarão a não gastar ao protestar uma dívida em cartório. Com o projeto de alterações das tabelas de emolumentos, o credor não paga mais pelo protesto, apenas o devedor. Assim, o cartório, que é o intermediário entre as duas partes, não receberá no ato do registro de protesto, como ocorre hoje, os cartórios passarão a receber apenas no momento em que o devedor retirar o protesto de cartório. 

 “No modelo atual, o empresário paga as custas do protesto. Se o devedor pagar, também se cobra novamente as custas. Essas custas recebidas eu devolvo ao empresário junto da dívida”, explicou o presidente da secção Mato Grosso do Sul do Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil (IEPTB-MS), Leandro Corrêa. No caso de o devedor não pagar a dívida no ato da cobrança, o cartório fica com as custas pagas pelo credor. Pela proposta, o credor ainda arca com as custas, e apenas o cartório não recebe nada no processo. “Nessa relação entre o comerciante, devedor e cartório, quem perde é o cartório, que trabalha de graça nesses casos, assumindo o risco da inadimplência”, declarou Corrêa.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) está revisando o valor das taxas cartorárias. Enquanto as escrituras com valores declarados de imóveis serão baixadas, outros serviços serão reajustados e terão aumentos de até 24%. De acordo com o juiz auxiliar da corregedoria geral do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Renato Liberali, a proposta está prevista para ser entregue na Assembleia Legislativa na segunda quinzena de outubro.

Como o texto ainda não está finalizado, a previsão é de que as mudanças propostas anteriormente pelo TJMS, em 2018, sejam mantidas. Entre elas está a lavratura ou aprovação de testamento que passaria a custar R$ 735 – aumento de 24% em relação aos R$ 592 cobrados atualmente. O processo para habilitação do casamento poderá ter reajuste de 15%, passando R$ 290 para R$ 332.

Levantamento dos atos cartorários entre 2016 e 2018 apontou os problemas da tabela atual e como uma nova se comportará. “É um trabalho inédito quanto à tabela de emolumentos e que servirá para projetos futuros. Os cartórios precisam ser viáveis financeiramente”, disse o juiz.

 

*Matéria editada às 12h26 para alterações de informações

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Publicada lei que cobra dos condutores os danos ao patrimônio em acidentes
INDENIZAÇÃO

Publicada lei que cobra dos condutores os danos ao patrimônio em acidentes

Consórcio aguarda decreto para subir tarifa de ônibus para R$ 4,10
TRANSPORTE COLETIVO

Consórcio aguarda decreto para subir tarifa de ônibus

Arroba do boi cai 20%, mas para o consumidor reflexo é pequeno
PECUÁRIA

Arroba do boi cai 20%, mas para o consumidor reflexo é pequeno

MS cobra mais investimento federal na área de fronteira
APÓS FUGA NO PARAGUAI

MS cobra mais investimento federal na área de fronteira

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião