FAMA RUIM

Privatização tira da BR-163 status de “rodovia da morte”

Para a Polícia Rodoviária Federal, BRs 262 e 267 são tidas agora como as estradas mais perigosas do Estado
06/09/2015 00:00 - DA REDAÇÃO


 

Depois da privatização da BR-163 e a redução nos números de mortes na via que chegou a ser considerada uma das rodovias federais mais perigosas de Mato Grosso do Sul, a BR-267 e a BR-262 são as novas candidatas ao título de mais violentas do Estado, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Conforme o inspetor da PRF, Tércio Baggio, a redução no número de acidentes e mortes, desde que a concessionária CCR MSVia assumiu a responsabilidade pela rodovia, foi gritante – caíram em mais da metade – e pode influir nos números de acidentes também em outras vias. “Estas privatizações são indutoras de transformações nas outras rodovias”, explica. 

Dados da PRF demonstram que, entre janeiro e julho do ano passado, foram registrados 835 acidentes na BR-163. Apesar de o número de ocorrências ser ligeiramente maior que no mesmo período deste ano, quando foram registrados 879 acidentes, casos de mortes caíram mais da metade, indo de 64, em 2014, para 30, em 2015. 

*A reportagem, de Tainá Jara, está na edição de hoje do Jornal Correio do Estado.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".