Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRÁFICO DE DROGAS

PRF apreende em SP 255 kg de maconha que saiu de MS

Ocupantes de caminhonete fugiram, mas dois batedores foram presos
22/08/2015 11:00 - Danielle Valentim


 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na rodovia Transbrasiliana, BR-153, em São Paulo, 255 quilos de maconha, que saíram de Naviraí, município a 356 quilômetros da Capital, sul-mato-grossense. A droga estava escondida em uma caminhonete S-10 e os dois ocupantes do veículo conseguiram fugir.

De acordo com o site DHoje,  a apreensão aconteceu próximo ao pedágio de José Bonifácio e de acordo com a polícia, os dois ocupantes conseguiram fugir por meio da mata, depois de uma perseguição e abandonar o veículo.

“Esse veículo é furtado de Mococa e os ocupantes atiraram contra a equipe e quando começamos a persegui-lo na troca de tiros, conseguimos acertar um pneu da caminhonete e eles a abandonaram e fugiram por um matagal”, diz o policial Paulo Demarchi. Segundo ele, nenhum policial se feriu, e uma equipe da PRF continua procurando os criminosos pela mata.

A droga na S-10 era "batida" por um veículo Corolla, que avisaria se tivesse algum comando policial. Durante abordagem os dois ocupantes do veículo, de 14 anos e 30 anos, foram detidos em flagrante e encaminhados para a delegacia da Polícia Federal de Rio Preto. 

Os dois são de Naviraí, no Mato Grosso do Sul e disseram aos policiais que "bateriam" o entorpecente até a cidade de Franca.

O adolescente não tinha passagem, mas o outro já era conhecido da polícia por receptação e ser usuário de entorpecentes. 

O adolescente foi encaminhado à Vara da Infância e o adulto para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Preto. As investigações continuarão sendo feitas pela PF, que pode identificar o dono da droga, já que o Corolla tinha documentos verdadeiros e pode ser de alguém envolvido na quadrilha.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.