Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORUMBÁ

PRF apreende 140 kg de cocaína em fundo falso de caminhão

Veículo também transportava 15,4 kg de skunk
18/04/2019 17:35 - TAINÁ JARA


 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu nesta quarta-feira,139,8 quilos de cocaína e 15,4 quilos de skunk no km 706 da BR-262 em Corumbá, município distante 420 quilômetros de Campo Grande. A droga foi encontrada no fundo falso de um caminhão M. BENZ/1938, com placas da Capital.

Durante a abordagem, o condutor de um veículo,um homem de 41 anos, demonstrou nervosismo durante a abordagem. Foi realizada uma vistoria, sendo encontrados diversos tabletes de cocaína e skunk em um fundo falso no interior da cabine do veículo. 

O motorista revelou que pegou a carreta em Campo Grande/MS e viajou até Corumbá/MS, onde ficou hospedado por uma semana enquanto aguardava o fundo falso da cabine ser preparado. Também foi apreendido um aparelho celular que, segundo o envolvido, lhe foi entregue e que deveria atendê-lo sempre que tocasse.

Suspeitos de que havia um batedor para a carga de entorpecente, os agentes abordaram um FORD/FUSION, com placas de São José do Rio Preto/SP que seguia logo a frente do caminhão. Dentro do carro estava o motorista, de 26 anos, que ficou muito nervoso ao saber sobre a apreensão da carreta. Com ele viajavam sua namorada, de 18 anos e uma criança de 1 ano, filha do casal.

Após consulta, foi constatado que o condutor do carro era o verdadeiro proprietário da carreta apreendida. Com ele, foram encontrados dois aparelhos celulares e várias ligações que foram apagadas.

O M.BENZ foi apreendido e encaminhado à Receita Federal para a retirada da droga, onde foi constatado se tratar de 93,3 quilos de pasta base, 46,5 quilos de cloridrato de cocaína e 15,4 quilos de skunk.

Os dois envolvidos foram presos e encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal em Corumbá/MS.

 

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.