Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TEMPO

Calor de 38°C e baixa umidade do ar em Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande há possibilidade de chuva em áreas isoladas
10/10/2019 07:42 - BRUNA AQUINO


 

Nesta quinta-feira (10) véspera de feriado as temperaturas continuam elevadas, máxima de 38°C, com a diminuição da nebulosidade e com os ventos passando progressivamente ao setor norte de Mato Grosso do Sul. No entanto, o tempo continua instável com pancadas de chuva isoladas, especialmente no norte e Pantanal - nas cidades de Corumbá e Aquidauana- onde são esperadas as áreas de instabilidades mais intensas. 

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o fim de semana será de temperaturas bastante elevadas, mas o tempo permanece instável, com pancadas de chuva e trovoadas ocorrendo principalmente entre o fim da tarde e o início da noite, sobretudo nas mesorregiões de divisa com o Paraguai, como Ponta Porã por exemplo.

No leste e oeste do Estado, o tempo será nublado a parcialmente nublado com possibilidade de chuva em áreas isoladas. A máxima nas cidades dessa região, como Nova Andradina, Três Lagoas e Paranaíba é de 34°C. 

Nas regiões sul e sudoeste de Mato Grosso do Sul o tempo ficará claro e as temperaturas aumentam expressivamente para 38°C e não chove. Fazem parte da região sul as cidades de Dourados, Ponta Porã, Bodoquena e Iguatemi. 

Nas regiões centro-norte haverá pancadas de chuva nas áreas isoladas em meio ao calor de 38°C. 

Em Campo Grande, hoje a previsão será de tempo nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva isolada com temperatura máxima em torno de 35°C. Na sexta-feira e no sábado de feriado, o tempo será claro a parcialmente nublado passando a nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. 

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!