Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

Custeio

Prefeitura de Campo Grande
suspende repasse a hospitais

A partir de outubro, 4 unidades recorrerão a empréstimos bancários

21 SET 2017Por DA REDAÇÃO07h:00

Repasse da Prefeitura de Campo Grande a quatro hospitais que atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) será suspenso por pelo menos três meses.

A previsão da Secretaria Municipal de Finanças e Planejamento (Sefin) é de que, a partir de outubro, aproximadamente R$ 7 milhões para custeio da saúde deixem de ser transferidos por mês para Santa Casa – a qual recebe, sozinha, R$ 4,467 milhões –, Maternidade Cândido Mariano, Hospital de Câncer Alfredo Abrão e Hospital São Julião. 

Para minimizar a falta de recursos, os hospitais fizeram um “acordo” com o município e realizarão empréstimos para cobrir os meses sem repasse.

No total, a previsão é de que deixe de ser pago montante de R$ 21 milhões, quantia que deverá ser quitada em parcela única no dia 12 de janeiro de 2018.

Mesmo sem nenhuma ligação entre a prefeitura e os empréstimos realizados pelos hospitais com os bancos, a promessa é de que os valores serão quitados por intermédio de repasse contratual. 

“Eles (hospitais), por conta própria, vão adquirir o empréstimo. Não há nenhuma ligação com a prefeitura. A prefeitura não é interveniente do contrato nem avalista, e também não há nenhuma relação jurídica no negócio entre os hospitais e os bancos”, afirmou o secretário de Finanças, Pedro Pedrossian Neto.

“Eles estão contratando estes recursos, que totalizarão o aporte que tenho que fazer nos próximos meses, de R$ 7 milhões, e eu vou realizar o pagamento em janeiro para eles”, complementou.

*Leia reportagem, de Natalia Yahn, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também