CAMPO GRANDE

Prefeitura abre processo seletivo com 19 vagas para motoristas

Oportunidades exigem ensino fundamental completo e salário é de R$ 1,6 mil
21/05/2019 10:29 - GLAUCEA VACCARI


 

Prefeitura de Campo Grande abriu processo seletivo simplificado com 19 vagas para motoristas de transporte escolar e de veículos pesados, para atuar na Rede Municipal de Ensino (Reme). As inscrições começam nesta quinta-feira (23) e o salário oferecido é de R$ 1,6 mil.

Conforme o edital, publicado na edição de hoje do Diário Oficial do Município, são sete vagas para motorista de transporte escolar e 12 para motorista de veículos pesados. Para ambas as vagas é necessário ensino fundamental completo. Os profissionais selecionados no processo serão contratados pelo período de um ano.

Além da escolaridade, que é mesma exigida para as duas funções, a oportunidade de motorista escolar exige idade superior a 21 anos; carteira de habilitação categoria D; não ter cometido nenhuma infração de trânsito grave ou gravíssima ou ser reincidente em infrações médias durante os últimos doze meses; não estar cumprindo pena por crimes de trânsito e ser aprovado em curso especializado, no termos de regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Já motorista de veículos pesados tem como requisitos básicos idade superior a 18 anos; ter CNH categoria C, D ou E e não estar cumprindo pena por crimes de trânsito. 

Os candidatos poderão realizar a inscrição exclusivamente pela internet, no site Secretaria Municipal de Gestão (Seges), das 10h do dia 23 de maio às 16h do dia 24 de maio, no horário de Mato Grosso do Sul.

Mais informações sobre atribuições dos cargos e edital completo estão disponíveis no Diogrande de número 5.583.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".