Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PREGÃO ELETRÔNICO

Prefeitura abre licitação para comprar 18 mil microchips de cães e gatos

Informação foi publicada nesta quarta-feira (27), no Diogrande
27/02/2019 12:23 - ALINE OLIVEIRA


 

Foi publicado no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande), desta quarta-feira (27), abertura de licitação da Prefeitura de Campo Grande, para compra de 18 mil microchips que serão implantados em cães e gatos. 

O município oferece o serviço com o objetivo de atender a Lei de Responsabilidade e Posse de Animais, criada em 2005. Além dos microchips, a administração espera o registro de preços da agulha e aplicador do chip. O processo licitatório será da modalidade pregão eletrônico, do tipo menor preço unitário. 

Na descrição, a Secretaria Municipal de Gestão (Seges), descreve que o microchip deve ser do modelo Transponder, agulhado com aplicador microchip animal contendo: microchip, aplicador e agulha. O valor referência é R$ 5,28 e vigência do pedido é válida até 28 de novembro.

DETALHAMENTO

Conforme publicado em matéria do Correio do Estado, em outubro do ano passado, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) detalhou que o chip tem o tamanho de um grão de arroz e é colocado no animal por meio de uma seringa, sem anestesia, devido ao pequeno tamanho. O dispositivo não tem prazo de validade e conta com sistema de leitura internacional.

Cada animal recebe um número exclusivo de identificação. O microchip possibilita a identificação o proprietário do animal, caso ele seja abandonado ou perdido e acabe encaminhado ao CCZ. Isso porque, ao ser inserido no sistema, o número do chip informa todos os dados pessoais do guardião do animal.

Entre os dados coletados, por exemplo, estão o Registro de identidade (RG), CPF, nome e endereço do proprietário, além de dados como raça, cor e sexo do animal. 

Para a confecção do registro e implantação do microchip nos animais, os proprietários devem procurar o CCZ, tendo em mãos  documentos pessoais, comprovante de endereço e carteira de vacinação do animal.

*Colaborou Luana Rodrigues

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...