"FAKE JÚNIOR"

Prefeito é condenado a pagar R$ 15 mil à vítima de ataque em rede social

Prefeito de Fátima do Sul é acusado de criar perfis falsos para atacar adversários
12/09/2015 11:03 - Glaucea Vaccari


 

O prefeito de Fátima do Sul, Eronivaldo da Silva Vasconcelos Júnior (PSDB), foi condenado a pagar R$ 15.760 de indenização para um vítima de ofensas feitas através de perfis fakes criados para atacar adversários políticos. A sentença foi publicada no Diário Oficial da Justiça de quarta-feira (9).

O caso, que ficou conhecido como “Fake Júnior”, ocorreu em março de 2015. Dois perfis, com os nomes "Fátima de Souza'' e "Roberto Noroy" foram usados para as postagens. Uma das vítimas do ataque de um dos perfis falso denunciou o caso a Justiça.

Documentos enviados pelas concessionárias de telefonia Oi e Vivo identificaram números, donos das linhas e endereços residencias de onde teriam partido as postagens. Os ataques foram feitos de computadores instalados na prefeitura, na casa do prefeito e de seu sogro e de alguns de seus assessores.

De acordo com o site Fátima em Dia, o prefeito chegou a jogar a culpa da criação dos perfis a um dos servidores da prefeitura, alegando que o funcionário usou linhas telefônicas da prefeitura, de sua casa, da família e até de seu celular. O rapaz foi demitido.

Porém, a Justiça condenou o prefeito a pagar indenização por danos morais à vítima.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".