MORADIA POPULAR

Prazo para concorrer a apartamentos da Agehab segue aberto até terça

Serão destinadas 602 moradias em três bairros de Campo Grande
17/05/2019 13:33 - GLAUCEA VACCARI


 

Prazo para inscrições e atualizações de cadastro para concorrer a uma casa da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab), que vai destinar 602 apartamentos nos bairros Portal das Laranjeiras, Sírio Libanês e Jardim Aero Rancho, em Campo Grande, segue aberto até a próxima terça-feira (21).

As inscrições podem ser feitas por meio do site da Agehab ou presencialmente em qualquer um dos três postos de atendimento do Fácil, localizado nos bairros General Osório, Guaicurus e Aero Rancho, das 8h às 14h.

Para o cadastro presencial é necessários apresentar RG, CPF, comprovante de estado civil, certidão de nascimento dos filhos menores de 18 anos, comprovante de residência, comprovante de renda, carteira de trabalho, número de Cadastro Único (NIS) e, se for casado, documentos do cônjuge.

Novas residências vão beneficar famílias que têm renda mensal de até R$ 1,8 mil. Famílias residentes em áreas de risco ou insalubres, que tenham sido desabrigadas, que tenham mulheres responsáveis pela unidade familiar e que façam parte pessoas com deficiência terão preferência na seleção. 

Também terá prioridade no processo famílias com filhos menores de 18 anos,  monoparentais (constituída somente pela mãe, pelo pai ou por um responsável legal por criança e adolescente) ou que tenham pessoa com doença crônica e incapacidade para o trabalho.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".