Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

22,6 toneladas

PRF encontra em MS 2º maior
carregamento de maconha no Brasil

Apreensão aconteceu entre Aral Moreira e Ponta Porã, na BR-463

20 JUN 2017Por RODOLFO CÉSAR17h:13

A segunda maior apreensão de maconha no Brasil feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi feita na noite de ontem (19), entre Aral Moreira e Ponta Porã. Trabalho conjunto da PRF e Polícia Federal (PF) conseguiu identificar carreta bitrem que estava com soja e 22,6 toneladas da droga. Esse total é considerado o maior da história de Mato Grosso do Sul, quando a corporação esteve a frente da abordagem.

Em novembro de 2015, foram localizados no Paraná 24,5 toneladas de maconha. Esse carregamento é a maior apreensão feita pelos policiais rodoviários federais.

O transporte do entorpecente em Mato Grosso do Sul era feito por veículo Volvo/FH, com placas de Bauru (SP). Os dois semirreboques também tinham placas da mesma cidade paulista e eram conduzidos por Jean Carlos da Silva, 39 anos, preso em flagrante.

Além da maconha, os policiais localizaram 200 quilos de skunk, um tipo de droga considerado mais potente porque é o cruzamento de espécies diferentes de plantas do gênero cannabis e com maior concentração de Tetra-hidrocanabinol (THC).

O caminhão transitava pela BR-463 e foi abordado no município de Ponta Porã. A PRF fazia fiscalização de rotina quando abordou o veículo e encontrou o carregamento.

Para conseguir retirar toda a carga, os policiais levaram o veículo no posto de fiscalização Capey. Em um primeiro momento, a estimativa é que havia 12 toneladas da droga.

A delegacia da Polícia Federal em Ponta Porã assumiu a investigação para tentar descobrir a origem da droga e quem havia comprado.

O delegado chefe da unidade, Glauber de Carvalho Araújo, explicou que a equipe da DPF da cidade vai verificar possíveis desdobramentos. "Vamos agora verificar se encontramos algum elemento para direcionar a investigação para um novo rumo ou concluímos com a prisão do suspeito e a apreensão do entorpecente", explicou.

A maconha, por conta do volume grande, precisará ser incinerada ainda nesta semana.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também