Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

comércio

Carga recorde de maconha era de
consórcio paulista de traficantes

Compra em conjunto serve para facilitar a logística

22 JUN 2017Por DA REDAÇÃO04h:00

A Polícia Federal acredita que a maior apreensão de maconha já feita na história de Mato Grosso do Sul, ocorrida na noite de segunda-feira, na fronteira com o Paraguai, seja de consórcio de traficantes paulistas.

O carregamento de 22,6 toneladas, transportado sob carga de farelo de grãos em uma carreta bitrem, estava separado por tamanho, peso, cores e marcações diferentes, o que leva a crer que tivesse mais de um  proprietário.

O crime organizado costuma adotar esta medida para baratear a logística de transporte e minimizar prejuízo em caso de apreensão.

De acordo com o delegado Glauber Fonseca de Carvalho Araújo, chefe da Delegacia da PF em Ponta Porã, o consórcio é o principal meio pelo qual os chefes de quadrilha optam para atravessar grandes quantidades de droga.

“O risco de interceptação é sempre muito grande, por isso, vários traficantes se juntam e cada um encomenda pequena quantidade”, explicou.

O que confirma esta hipótese, explica o delegado, é a maneira como os pacotes estavam distribuídos. Durante o procedimento de pesagem, que levou quase 20 horas, os policias verificaram tabletes com tamanhos variados.

*Leia reportagem, de Renan Nucci, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também