FEMINICÍDIO

Polícia vai ouvir familiares em investigação<br> de morte de ex-candidata a vereadora

Mercedes Vargas tinha 32 anos e morava em Caracol
24/08/2017 19:15 - RODOLFO CÉSAR E MARIANE CHIANEZI


 

A Polícia Civil vai ouvir testemunhas e parentes para avançar na investigação sobre o assassinato de Mercedes Vargas, de 32 anos. Ela morreu com dois tiros, um disparado contra o peito e outro na cabeça. A vítima tinha sido candidata a vereadora em Caracol pelo PR em 2016.

O principal suspeito do homicídio é o marido dela, Lourival Carbonaro Salles, 57 anos. Ele cometeu suícidio depois da morte de Mercedes. O crime aconteceu na tarde de quarta-feira (23).

Os dois moravam em Caracol, na Avenida Mato Grosso. As primeiras informações que foram repassadas à Polícia Civil são de que o casal estava em processo de divórcio e Lourival não aceitava o fim do relacionamento.

A vítima foi naturalizada brasileira, com registro de nascimento de Bela Vista. Lourival estudava agronegócio em Dourados e ano passado trabalhou em Porto Murtinho.

O delegado responsável pelo inquérito, Antenor Lemes, explicou que aguardaria o sepultamento dos dois para começar a fase de oitivas. Ele não deu detalhes sobre como estava o relacionamento de Mercedes e Lourival.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".