Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Tráfico de animais

Polícia resgata 521 aves traficadas
em MS e aplica R$ 290 mil em multas

Papagaio é a espécie que mais sofre, segundo balanço da PMA

20 FEV 18 - 11h:10RENAN NUCCI

Além do tráfico de armas e drogas, Mato Grosso do Sul também é ponto de partida do tráfico de animais. Segundo a Polícia Militar Ambiental (PMA), no ano passado foram resgatadas 521 aves traficadas, dentre as quais 345 eram papagaios, número que representa 66,22% do total. 

Em 2016, foram apreendidos 469 aves. Porém, o número de papagaios foi apenas de 16, ou seja, 96,23% inferior ao ano de 2017. O número é variável porque depende da maneira como os traficantes aliciam pequenos produtores rurais e assentados para participar.

De acordo com a PMA, muitas pessoas participam do comércio ilegal de animais silvestres sem saber que estão cometendo crime ambiental. Por esse motivo, a fiscalização é reforçada no período que compreende entre os meses de agosto a dezembro.

É nesta época que os papagaios se reproduzem e se tornam alvos ainda mais vulneráveis, especialmente os fihotes. Para combater o delito, a PMA mantém trabalhos preventivos nas propriedades rurais.

A região com maior incidência constitui os municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. Nessa área, ninhos também são monitorados pelos policias, para evitar a retirada dos filhotes, visto que essa é a preocupação maior.

"A base do trabalho é evitar a retirada dos animais, evitando custos à fauna e ao Estado, tendo em vista os altos custos financeiros, até a reintrodução dos filhotes na natureza", diz a PMA por meio de nota.

AÇÕES

Sabendo a forma de agir dos traficantes, a PMA realiza trabalhos preventivos nas propriedades rurais, por meio de informação da legislação e Educação Ambiental. Barreiras também são executadas nas saídas para o estado de São Paulo, que é para onde os papagaios têm saído.

MAIS AVES

Outro tipo de tráfico, do qual Mato Grosso do Sul é rota, é de canário-peruano (Sicalis flaveola valida). Esse animal entra no Brasil, trazido por traficantes peruanos, bolivianos e brasileiros e é levado, na maioria das vezes, para Brasília (DF) e para a região nordeste e norte de Minas Gerais, para ser utilizado em “rinhas”.

Por ser uma espécie apenas um pouco maior, mas muito parecida com o Sicalis flaveola brasiliensis, o nosso “canário-da-terra” também é alvo de traficantes. A primeira apreensão registrada foi no ano de 2000, quando 400 canários eram levado para Brasília no porta-malas de um veículo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Com tuberculose, adolescente aguarda uma vaga em hospital
SAÚDE

Com tuberculose, adolescente aguarda vaga em hospital

Deputados negociam manutenção de abono para quem ganha menos
CONTRA O TEMPO

Deputados negociam manutenção de abono para quem ganha menos

Prazo para pagar licenciamento de placas final 1 e 2 termina na terça
FIQUE ATENTO

Prazo para pagar licenciamento de placas final 1 e 2 termina terça

Operação da PM termina com 87 presos e 25 kg de droga apreendidas
TIRADENTES

Operação da Polícia Militar termina com 87 presos

Mais Lidas