ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

Polícia prende dez traficantes que entregavam veículos em troca de drogas

Organização agia em Três Lagoas, Brasilândia, Coronel Sapucaia e Ponta Porã
10/09/2015 17:16 - MARESSA MENDONÇA


Dez, dos 12 mandados de prisão expedidos pela Justiça a pedido da Polícia Federal foram cumpridos nesta quinta-feira (10), durante a operação "Pêndulo" realizada em Três Lagoas, Brasilândia, Coronel Sapucaia e Ponta Porã. Conforme o delegado Vinícius Faria Zangirolani, durante as ações, os agentes encontraram drogas, cigarros contrabandeados do Paraguai e arma.

Zangirolani explicou que além das prisões, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e cinco de condução coercitiva. "Falta localizar duas pessoas, uma em Ponta Porã e outra em Três Lagoas". Além disso, as prisões em flagrante ocorreram por porte ilegal de arma de fogo, quando um revólver calibre 38 com cinco munições foi encontrado na casa de um dos suspeitos, aproximadamente 4 quilos de entorpecente, entre maconha e cocaína, com outro e cigarros contrabandeados com um terceiro.

"Vamos analisar esses materiais e tentar identificar se há outros envolvidos", declarou o delegado, se referindo aos próximos passos que serão tomados pela polícia.

Durante a operação "Pêndulo" foram empenhados 72 policiais. O nome faz alusão à logística adotada pelo grupo criminoso, que atuava em Três Lagoas, com ramificações em Brasilândia, Coronel Sapucaia e Ponta Porã, recebendo carregamentos de entorpecentes e enviando veículos como pagamento, simulando um movimento pendular.

APREENSÕES

De acordo com informações da instituição federal, desde o início das investigações, em março deste ano, mais de cinco toneladas de maconha, 18 veículos, arma de fogo e 70 munições foram apreendidas em cinco flagrantes ocorridos em cidades e datas distintas.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".