Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRIME AMBIENTAL

Polícia multa 3 em R$ 6 mil por pesca predatória e apreende barcos

Polícia multa 3 em R$ 6 mil por pesca predatória e apreende barcos
14/08/2015 10:05 - Danielle Valentim


 

Uma equipe de Policiais Militares Ambientais de Três Lagoas, multou em R$ 6 mil e apreendeu os barcos de três pescadores, durante fiscalização fluvial no rio Verde, no município de Água Clara, na tarde de ontem (13). Os homens pescavam com petrechos proibidos por lei e responderão por pesca predatória.

Um turista catarinense, de 36 anos, foi surpreendido em uma embarcação lançando joão-bobos (boias/cavalinho – com anzóis) no rio e ainda pescando com tarrafa (petrechos proibidos).  Com o pescador, residente em Indaial (SC) foram apreendidas quatro boias (joão-bobo), uma tarrafa, um motor de popa, um barco de alumínio e uma carretilha. O pescador, que ainda não havia captura peixe, foi autuado administrativamente e recebeu multa de R$ 2.000,00.

Outro turista, residente em Andradina (SP) foi surpreendido armando anzol de galho (petrecho proibido). Com o infrator foram apreendidos um motor de popa, um barco de alumínio, cinco anzóis de galho. A PMA ainda retirou 20 anzóis de galho nas imediações em que o pescador praticava pesca predatória, mas o infrator afirmou não lhe pertencerem. Ele foi autuado administrativamente e recebeu multa de R$ 2.000,00.

O último autuado foi um pescador de 39 anos, residente em Água Clara. Ele pescava com petrecho proibido do tipo tarrafa e também foi autuado administrativamente e recebeu multa de R$ 2.000,00. A tarrafa foi apreendida.

Todos os infratores responderão por crime ambiental de pesca predatória, que tem pena prevista de um a três anos de detenção.

Felpuda


Vereador de Campo Grande fez pronunciamento com forte teor preconceituoso que obviamente não agradou, principalmente as mulheres. A repercussão negativa foi grande e ele teve de ler cobras e lagartos em seu perfil nas redes sociais. Assim, correu para publicar nota de esclarecimento tentando colocar panos quentes e se comprometendo a, já na próxima sessão, solicitar a retirada de sua fala dos chamados “anais da Casa”. Também, pudera!