ASSASSINATO

Polícia já tem suspeito de matar militar e apura caso como latrocínio

Hipótese é a de que vítima não conhecia o autor
15/04/2019 17:09 - RAFAEL RIBEIRO


 

Tentativa de latrocínio (morte em assalto). Essa é a principal linha de investigação da Polícia Civil de Bonito para o assassinato do major aposentado do Exército, Paulo Settervall, 57 anos, morto com uma facada no coração na noite do último domingo (14), em frente ao hotel na cidade onde estava hospedado com familiares. Um suspeito do crime já está identificado.

Segundo investigadores revelaram ao Correio do Estado, o homem investigado não tem qualquer relação pessoal aparente com a vítima. E o diálogo traçado entre ambos parece pouco característico de um crime encomendado, como uma execução.

O assassinato acontece por volta das 23h. Segundo os familiares, Settervall desceu de seu quarto para fumar. A partir daí as imagens mostram o acusado se aproximando. Após a conversa, ele saca a faca e crava a faca no major, fugindo em seguida.

"Testemunhas contaram que ele estava descontrolado, alterado mesmo, andando sem rumo com a faca suja de sangue nas mãos", disse o Gustavo Henriques Barros, responsável pelo caso. 

A identidade não foi revelada, mas é um morador da cidade turística, que seria viciado em bebidas alcóolicas. Na sua casa, a polícia encontrou roupas e objetos queimados.

"As equipes estão fazendo diligências nas ruas, é uma questão de tempo", disse o delegado, sobre a prisão do suspeito, que segue foragido até a publicação desta reportagem.

"SEJAM FELIZES SENHORES"

Nascido em São Paulo (SP), Settervall é casado e pai de um menino de 5 anos. Tranferido para o Comando Militar do Oeste (CMO) no início dos anos 1990, é um dos fundadores do Colégio Militar de Campo Grande em 1997. Por mais de dez anos permaneceu na instituição de ensino, em que chegou a ocupar o posto de comandante na última década.

Considerado carismático, o major era admirado e respeitado pelos alunos e ficou marcado pelos bordões em sala de aula. Em um dos mais marcantes e repetidos nas homenagens prestadas nas redes sociais, desejava felicidade aos alunos. "Bom dia e sejam felizes senhores", brandava. Em outro, ensinada o que chamava de mandamento: "nunca, jamais, em tempo algum, dividirás por zero", gritava, arrancando gargalhadas da turma.

Aposentado da carreira militar, Settervall comemorava o anúncio do fim de sua carreira como professor para se dedicar à família. Por isso foi com a família e amigos a Bonito. Atualmente, ele era contratado do Colégio Bionatus, que emitiu nota sobre o assassinato de seu funcionário.

"Nós, nos solidarizamos com os familiares e amigos por este tão delicado momento. Ao mesmo tempo, colocamo-nos para prestar total apoio aos familiares, além de desejar alívio e conforto”, diz o texto.

O enterro do major acontece nesta tarde, em um cemitério particular da Capital. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".