Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AÇÃO CONJUNTA

Polícia Federal apreende R$ 880 mil <br>em apartamento de São Paulo

Investigação começou após prisão de boliviana em MS
12/02/2019 18:00 - GLAUCEA VACCARI


 

Ação conjunta entre a Polícia Federal de Mato Grosso do Sul e de São Paulo apreendeu mais de R$ 880 mil em dinheiro, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão em um apartamento na capital paulista, nesta terça-feira (12), em ação da operação Dinheiro Vivo. O mandado foi expedido pela 3ª Vara Federal de Campo Grande e o imóvel está vinculada a uma pessoa presa no ano passado, em Nova Alvorada do Sul, em ônibus que vinha do estado vizinho.

De acordo com a PF, na ação de hoje, além de R$ 883.578,00,  foram apreendidos dois veículos, um Fox e um Colbalt, e foram presas três pessoas, sendo dois homens e uma mulher. O apartamento é localizado no bairro de Higienópolis, área nobre da capital paulista.

Investigações começaram em outubro do ano passado, após a prisão de uma boliviana de 32 anos. A mulher estava em um ônibus que saiu de São Paulo e, durante abordagem da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-163, em Nova Alvorada do Sul, policiais desconfiaram do volume e peso da mala da boliviana, iniciando uma revista.

Dentro da mala foram encontrados, divido em vários pacotes, a quantia de US$ 799.500, equivalente a R$ 3 milhões, na cotação da época. Dinheiro não estava declarado.

A mulher passou mal e, após ser atendida no hospital, informou que levaria os dólares até Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Ela foi presa e encaminhada à Superintendência da PF, sendo iniciada a investigação, que terminou com a ação de hoje.

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!