Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NOVA COR

Polêmica, pintura do Horto Florestal é investigada pelo Ministério Público Estadual

Prefeitura iniciou mudanças em abril e ação gerou repercussão nas redes sociais
03/06/2015 09:51 - ALINY MARY DIAS


 

A polêmica envolvendo a reforma e mudanças na fachada do Horto Florestal de Campo Grande, que começou em abril, chegou ao Ministério Público Estadual (MPE). O órgão abriu, nesta quarta-feira (3), inquérito civil para apurar suposto prejuízo ao patrimônio histórico e cultural.

O assunto foi abordado em reportagem publicada no Correio do Estado no início de abril, dias depois que a nova pintura começou a ser feita. Na época, a polêmica foi grande, de um lado, artistas e moradores contra o novo visual do cartão postal da cidade e, de outro, campo-grandenses satisfeitos com a limpeza do espaço.

De fato, há 10 anos o local estava abandonado e a atitude a prefeitura em limpar o parque e arrumar os banheiros agradou a todos, no entanto, a indignação de muitos ficou por conta da cor creme aplicada sobre os tradicionais tijolinhos do Horto.

A abertura de inquérito por parte da 26ª Promotoria de Justiça de Campo Grande também é motivada em razão do Horto estar em fase final de processo de tombamento.

Na publicação de hoje, a promotora Luz Marina Borges Maciel Pinheiro afirma que ao promover obra de manutenção no Horto a prefeitura pode ter alterado as características de seu projeto original, “o que teria provocado descaracterização da referida edificação pública”.

Em razão da abertura da investigação, a prefeitura deve ser notificada para prestar os esclarecimentos.

O HORTO

O atual horto, denominado Parque Florestal Antônio de Albuquerque, foi entregue aos campo-grandenses em 19 de maio de 1995, na gestão do então prefeito Juvêncio César da Fonseca, mas sua história é bastante anterior. Começa em 11 de outubro de 1912, quando o Intendente José Santiago reservou aquele terreno, às margens do córrego Segredo, e abrigou o Matadouro Municipal. O espaço se tornou parque em 1923, na gestão do prefeito Dr. Arlindo de Andrade Gomes.

Com mais de 100 anos de história e 20 do atual projeto, o Horto Florestal é um dos cartões postais da cidade e foi vítima de abandono e falta de manutenção por mais de uma década. Há duas semanas, o prefeito Gilmar Olarte (PP) deu ordem para que finalmente a manutenção do patrimônio fosse feita para colocar fim ao estado de abandono em que o parque se encontrava até então. 

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...