Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 15 de dezembro de 2018

Conselho

PM julga permanência na corporação de tenente-coronel que matou marido

Militar pode continuar na corporação, ser reformada ou expulsa

9 OUT 2017Por RENAN NUCCI09h:44

A tenente-coronel Itamara Romeiro Nogueira, 40 anos, participa nesta manhã de audiência junto ao Conselho de Justificação da Polícia Militar. O procedimento de caráter administrativo acontece na sede da Corregedoria, e tem como objetivo apurar se a servidora tem condições de prosseguir na corporação.

No dia 12 de julho do ano passado, ela matou a tiros o marido Valdeni Lopes Nogueira, 47 anos, e também policial militar, após briga na casa onde moravam, em Campo Grande.

De acordo com o coronel José Gomes Braga, corregedor da PM, Itamara está acompanhada do advogado, diante de três oficiais que fazem a acareação.

Atualmente, ela desempenha a função de agente de ordem no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e pode ser, dependendo do que for decidido pelo Conselho, afastada ou até mesmo excluída. “Outras audiências ainda vão acontecer. Ela pode permanecer, ser exonerada ou reformada, mas isso depende de muita análise”, disse Braga.

O caso

No dia 12 de julho do ano passado, Itamara e Valdeni discutiram na casa onde moravam no Bairro Santo Antônio.

À época, a policial alegou que, após ser agredida e ameaçada de morte, reagiu mais rápido e atirou duas vezes no marido antes que ele pegasse a arma dele para matá-la. Itamara chegou a ser presa, mas responde pelo crime em liberdade.

Valdeni foi socorrido, mas morreu na Santa Casa. Além do inquérito criminal junto à Polícia Civil, também responde a outros dois perante a PM.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também