segunda, 16 de julho de 2018

PARA O FUTURO

Plano diretor:construção de seis mil casas
e abertura de ruas estão previstas

Planejamento prevê obras e serviços; resta aguardar para ver o que sairá do papel

16 ABR 2018Por LÚCIA MOREL06h:00

Construção de seis mil casas, novas creches, terminais e pontos de ônibus cobertos, pavimentação e abertura de ruas estão entre as metas de obras para Campo Grande previstas no novo Plano Diretor, que deve ser votado pela Câmara de Vereadores até junho.

O plano, que já está com sua vigência mais que atrasada - deveria ter começado a valer em janeiro do ano passado - divide os objetivos dos próximos três, cinco, dez e 30 anos em sete eixos, e prevê diversos tipos de serviços e intervenções para a cidade.

Um dos mais importantes, que inclui infraestrutura urbana e habitação, prevê que até 2021, 20 academias ao ar livre devem ser implantadas. Nesse mesmo período, devem ser revisados o plano municipal de habitação, a legislação de moradias populares e elaborada a lei de regularização fundiária do município.

Mas vale ressaltar que as ações mais impactantes e substanciais estão previstas para começarem em 2023, como implantação de avenida bairro Chácara dos Poderes, ligando a BR-163 à BR-262 pela estrada NS 5. Até lá também devem ser implantadas a pista adicional da avenida Bálsamo e as ligações da Avenida Guaicurus até a Marechal Deodoro e da Avenida Ernesto Geisel até a Avenida Guaicurus.

Sete Centros de Educação Infantil (Ceinfs), três novas escolas, Laboratório Central, seis Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs), três Centros de Referência em Assistência Social (CRAs), mais 20 academias ao ar livre e dois Centros de Atendimento ao Turista também estão entre as metas a serem atingidas até 2023.

Já até 2028, os objetivos são constuir seis mil moradias populares, implantar 200 mil postes de iluminação, realizar mais regularizações fundiárias, construir casas populares no Centro, novas seis UBSFs e mais 20 academias ao ar livre. 

Dentro de dez anos, ainda estão previstas, na área de infraestrutura,  a implantação de prolongamentos da Rua Doutor Zerbine até a Avenida Alto Porã; da Duque de Caxias até o anel rodoviário; duplicação da Avenida Três Barras; pavimentação da Rua EW2 até a área do parque aquático, no bairro Chácara dos Poderes e pavimentar a futura avenida que ligará a BR-163 à BR-262.

Já as metas para 30 anos dentro da área de infraestrura e habitação, são de aumentar o número de ruas pavimentadas; elaborar estudos para definir alternativas para o abastecimento de água; implantar novo anel viário, ligando as saídas de Cuiabá e São Paulo; constuir mais seis UBSFs; mais 20 academias ao ar livre e implantar o crematório municipal.

TRANSPORTE

Outro eixo deveras importante é o de mobilidade, transporte e acessibilidade tem como meta a construção de novos 250 pontos de ônibus cobertos e revisão do Plano Diretor de Mobilidade Urbana até 2021. Até 2023, o planejamento indica a implantação da intermodalidade entre os transportes coletivo, individual (carros e motos) e ativo (bicicletas e pedestres); a implantação de um novo terminal de ônibus e novos 250 abrigos. 

Já para o período de dez anos - 2018/2028 -, pretende-se contruir mais um terminal; implantar sistema de ciclovias, com ligação entre bairros; adotar novos modais de transporte (metrô de superfície, por exemplo) e instalar semáforos inteligentes interligados a Central de Monitoramento. Até 2048, a única medida prevista é de construir abrigos de ônibus inteligentes, com Wi-Fi e telas com horários de ônibus e percursos em tempo real.

MAIS

Outros eixos são ordenamento territorial; tecnologia da informação, comunicação e inovação; gestão urbana; desenvolvimento sustentável; e patrimônio natural e cultural.
Nessas áreas destacam-se projetos como de revisar as diretrizes urbanísticas, requalificação da Avenida Bom Pastor, fazer monitoramento demográfico e de densidade populacional, bem como urbanizar o distrito de Anhanduí.

Também estão previstos, até 2028, a construção de um novo Paço Municipal; implantar Central de Monitoramento com câmeras e vias inteligentes monitoradas 24 horas; concluir a obra do Terminal Intermodal e implantar Unidades de Conservação Municipal; implantar o Parque das Acácias na região dos bairros Jardim Imá e Santo Antônio; restaurar a rotunda da Esplanada Ferroviária e o Museu José Antônio Pereira e implantar Complexo Cultural da Avenida Bom Pastor.

Outras ações importantes previstas são a revitalização do Mercado Municipal e a conclusão do prédio do Centro de Belas Artes, no bairro Cabreúva. Ambos, até 2023.

A reportagem procurou o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Planurb) para comentar sobre a viabilidade do planejamento dentro dos prazos previstos, mas não obteve retorno.

Leia Também