Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

VILA POPULAR

Famílias relatam drama, após terem perdido tudo em enxurrada

Moradores disseram que foram surpreendidos pela água às 4h30

13 FEV 19 - 11h:20BRUNA AQUINO E RENATA VOLPE

“Perdi Tudo”, esse é o único relato das famílias que moram na Avenida Rádio Maia, na Vila Popular, que perderam móveis, alimentos e eletrodomésticos dentro de casa por conta da chuva que atingiu Campo Grande na madrugada desta quarta-feira (13). Conforme informações dos moradores, a água invadiu as casas rapidamente e em algumas residências móveis ficaram boiando.

Foi o caso da diarista, Rosana da Silva, de 42 anos, que mora há um ano na Avenida e disse nunca ter passado por isso. Pega de surpresa pela água, ela acordou às 4h30 e a enxurrada já havia tomado toda a casa. Ela perdeu tudo, desde colchão a comida que estava no armário.

Paulo Sergio Spindola, de 47 anos, mora com a família em uma das casas alagadas, perdeu os móveis que comprou a apenas dois meses e pretende mudar de bairro. “Perdemos tudo, a geladeira e fogão compramos a dois meses atrás, geladeira até tombou com a força da água, eu não sabia que aqui alagava assim, vou ter que vender a casa e mudar”, disse.

Tomadas de lama, a situação ficou crítica e o cheiro de lixo ficou bastante forte na região depois que a água baixou o nível.

A aposentada Zélia Silva Lima, de 64 anos, que mora na mesma residência com os filhos e o neto há 30 anos. Ao Correio do Estado, ela contou que só percebeu o começo da invasão da água quando foi acordada pelo vizinho. “Quando a água começou a subir, um vizinho começou a chamar o outro, perdi móveis, guarda-roupa novo e comida na despensa”, disse. Diferente dos outros casos, Zélia contou à reportagem que pelo menos duas vezes por ano a casa dela era alagada, chegou a ir morar no sítio, mas voltou morar no bairro, porém fez uma casa no mesmo terreno um pouco mais alta para tentar evitar o ocorrido.

Cleber Mendes, de 30 anos, mora com a esposa em uma residência um pouco mais alta e conseguiu salvar algumas coisas. Mesmo assim, perdeu mantimentos que estavam no armário mais baixo e uma estante na sala.

No local, o secretário municipal de obras, Rudi Fioresi, fez uma fiscalização e equipes da prefeitura irão começar a limpeza à tarde. À reportagem, ele disse que na mata em frente as casas, têm uma tubulação e provavelmente a chuva trouxe galhos e lixos, o que pode ter entupido a tubulação, causando a enchente. Sobre a ajuda às famílias que perderam tudo, o secretário disse que essa questão é responsabilidade da Defesa Civil Municipal.

 

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

City tour terá passeios gratuitos durante a Cidade do Natal neste ano
FIM DE ANO

City tour terá passeios gratuitos durante a Cidade do Natal neste ano

Jovem de 14 anos se afoga em piscina do Círculo Militar
SUSTO

Jovem de 14 anos se afoga em piscina do Círculo Militar

Vacina de febre amarela será aplicada em todos os municípios de MS
IMUNIZAÇÃO

Vacina de febre amarela será aplicada em todos os municípios de MS

Minas vence o Praia Clube no tie-break e termina Mundial Feminino de vôlei em 5º
DISPUTA

Minas vence o Praia Clube no tie-break e termina Mundial Feminino de vôlei em 5º

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião