Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

MEIO AMBIENTE

Pequizeiro não poderá mais ser cortado sem autorização em MS

Fruto é um dos atrativos do Cerrado e está em ameaça de extinção

11 FEV 16 - 10h:00KLEBER CLAJUS

Nova lei prevê multa para quem cortar pequizeiros, sem autorização ambiental, em Mato Grosso do Sul. O objetivo consiste em preservar a espécie típica do Cerrado e favorecer cadeia produtiva de pequenos produtores extrativistas. Para ser aplicada na prática, no entanto, ainda falta sanção do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Dentre as regras, que isentam o plantio com finalidade econômica, estão a necessidade de se justificar o corte por execução de obra ou projeto de utilidade pública e interesse social. Há ainda necessidade de autorização do órgão ambiental e plantio de cinco a 10 mudas da espécie para cada exemplar cortado. No caso de descumprimento a multa chega a R$ 5,7 mil.

O deputado estadual Pedro Kemp (PT), autor da proposta, pontuou que o pequi possui histórico de uso por populações tradicionais como alimento por seu alto poder nutritivo, remédio caseiro, sabão artesanal, corante para tecidos, isca para peixes e alimentação do gado. A árvore, que produz um dos frutos atrativos do Cerrado, também estaria ameaçada de extinção.

Da família das cariocariáceais, o pequi tem seu nome popular derivado do tupy piki'a que significa casca espinhenta. A árvore possui copa que pode chegar a 3,5 metros de diâmetro, além de produzir média de quinhentos a três mil frutos por safra.

A legislação que garante sua proteção foi inspirada em projetos semelhantes existentes nos estados de Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Rádio, impresso e tv são meios com maior credibilidade junto à população
PESQUISA

Rádio e impresso são meios com maior credibilidade

Justiça condena Sanesul a reparar danos ambientais em Três Lagoas
SOB PENA DE MULTA

Justiça condena Sanesul a reparar danos ambientais

Obras na Consul Assaf e Bandeirantes devem sair do papel com convênio de R$ 169 milhões
JUNTOS POR CAMPO GRANDE II

Obras na Consul Assaf e Bandeirantes estão em convênio de R$ 169 milhões

Clientes que não receberam materiais da Bigolin devem recorrer à justiça
FALIDA

Clientes que não receberam materiais da Bigolin devem recorrer à justiça

Mais Lidas