Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BALANÇO

PDV tem adesão de 161 servidores e estimativa R$ 9 milhões em pagamentos

Secretaria tem 45 dias para analisar pedidos formalizados
22/07/2019 17:31 - GLAUCEA VACCARI E NATALIA YAHN


Plano de Desligamento Voluntário (PDV) teve adesão de 161 servidores públicos de Mato Grosso do Sul, conforme balanço divulgado hoje pela Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização (SAD). O montante correspondente aos pedidos é de R$ 9.094.340,96.

O prazo de adesão ao plano encerrou no dia 15 de julho, no entanto, a SAD tem 45 dias úteis para análise, decisão e publicação dos atos de deferimento e indeferimento dos pedidos. Os atos de exoneração serão publicados em até 30 dias úteis após o deferimento e a primeira parcela do pagamento estará disponível no mês seguinte a exoneração.

Conforme o secretário da SAD, Roberto Hashioka, o número de parcelas será em decorrência do valor que recebia o servidor que aderiu ao plano. “Não vai ser maior do que o salário bruto a parcela a ser paga”, disse.

Conforme o relatório, os mais de R$ 9 milhões incluem o valor do incentivo financeiro do PDV e os doze meses de contribuição patronal do Plano de Saúde da Cassems.

Funcionários da Secretaria de Estado da Educação (SED) foram os que mais formalizaram o pedido de desligamento voluntário, seguidos pela Fundação de Serviços de Saúde (Funsau), Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) e Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Hashioka afirmou ainda que, apesar de não ter sido estabelecido uma meta de adesões, o número está dentro do esperado.

“Não tínhamos grandes expectativas quanto ao número de adesões, por conta da situação que enfrentamos. O serviço em muita atratividade em decorrência da situação econômica que nós enfrentamos no País, com a taxa de desemprego bastante elevada”, explicou o secretário.

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.