DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

PDV é opção para quem não se adaptar à nova jornada, diz Azambuja

Governador diz que novo expediente é "demanda da sociedade"
16/04/2019 11:15 - TAINÁ JARA E RAFAEL RIBEIRO


 

Alegando que não pode "quantificar o número de servidores que irão aderir ao Plano de Desligamento Voluntário", sancionado nesta terça-feira (16), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) alegou que o programa é uma opção ao servidores que não se adaptarem à nova jornada de oito horas, que passa a valer a partir de 1º de julho.

"Vai ser opção para o servidor que não conseguir adaptar a sua vida à nova rotina. O programa vem como opção e atrativo. Como é facultativo, adere quem quiser, não temos previsão de quantos servidores vão participar e nem colocamos metas. O PDV vem para preencher a lacuna de quem não se adaptar às oito horas", disse o governador, durante o lançamento da Campanha do Agasalho deste ano, na sede do governo, no Parque dos Poderes, região leste da Capital.

Azambuja sancionou o PDV seis dias depois dela ser aprovada em segunda instância pela Assembleia Legislativa. O texto foi publicado no Diário Oficial do Estado (leia mais ao lado).

Segundo Azambuja, a nova carga horária do funcionalismo estadual "é uma demanda da sociedade." Pesquisas obtidas pela gestão apontam que 93% da população sul-mato-grossense exige o chamado 'expediente integral.' "Inclusive meu, que sou servidor", disse o governador.

"Nós estamos atendendo uma demanda da sociedade. Tem categorias que tem a carga específica. O militar trabalha 24 por 72 horas, o professor tem a carga horária já específica, mas a maioria dos administrativos tem uma carga específica das oito horas que vai começar a ser cumprida", completou o mandatário estadual.

REAJUSTE - Sobre o reajuste aos servidores deste ano, o governador foi direto e disse que iniciará em breve a negociação com os sindicatos, sem antecipar qualquer medida.

"Vamos ver o que é possível fazer no cenário que estamos. A secretária de administração e o secretário de governo estão abrindo uma agenda de de conversações, ouvindo as reivindicações e a gente vai dialogar com a categoria para ver o que é possível ser feito no cenário que estamos vivendo hoje", disse Azambuja.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".