Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CERRADO

Parque Nacional da Serra de Bodoquena <br>pode ser entregue à iniciativa privada

Consulta pública será aberta para definir como será a gestão da área
19/06/2018 18:34 - TAINÁ JARA


 

O Parque Nacional da Serra da Bodoquena será um dos cinco do País que poderão ser entregues para administração da iniciativa privada. O governo federal anunciou que vai abrir consulta pública para definir como passará a ser a gestão destas áreas de conservação. Reunião pública para debater o assunto será realizada no próximo dia 26 de junho pelo conselho do parque, no município de Bonito, distante 265 quilômetros de Campo Grande.

Criado em 21 de setembro de 2000, o parque existe para proteger 77.021,58 hectares de Cerrado e engloba territórios dos municípios de Bodoquena, Bonito, Jardim e Porto Murtinho. De acordo com o Gerente das Unidades de Conservação em Mato Grosso do Sul, do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Leonardo Palma, há uma tendência no Brasil em conceder à empresas o direito de explorar atividades de turismo nessas áreas. “O Estado tem sido ineficiente nessas ações (de turismo)”.

Outros quatro parques do País passarão por consulta pública para passaram a ser administrados pela iniciativa privada. São eles:  Itatiaia (que estende por RJ, SP e MG), Caparaó (na divisa entre MG e ES), Lençóis Maranhenses (MA), Jericoacoara (CE) e Serra da Bodoquena (MS). Conforme reportagem publicada anteontem pelo Estadão, os parques da Chapada dos Veadeiros, no Cerrado de Goiás, e do Pau-Brasil, na Mata Atlântica da Bahia já estão com editais prontos para o início das ofertas.

Atualmente, o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, é administrada pela empresa Cataratas do Iguaçu S.A, mesma empresa vencedora da licitação para administração do Aquário do antanal.

 

(Matéria alterada às 17:39, do dia 20 de junho de 2018, para acréscimo de informação)

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.