Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

R$ 3 MILHÕES

Parada por atraso em repasse, obra na Ernesto Geisel desmorona

Sem previsão de retomada, chuva estragou trecho recém-construído na via

9 NOV 19 - 09h:30DAIANY ALBUQUERQUE

Paradas e sem previsão de serem retomadas, as obras de revitalização da Avenida Ernesto Geisel tiveram problemas após a forte chuva que ocorreu em Campo Grande na tarde de quinta-feira (7). Trecho do guard-rail caiu, após a terra ceder por conta da forte enxurrada no cruzamento com a Rua do Aquário.

A obra estava em ritmo lento em razão do atraso no repasse de verbas do governo federal, que já chega a R$ 3 milhões, referentes aos meses de julho, agosto e setembro. Ainda não foi contabilizado como atrasado o repasse referente ao mês de outubro.

Moradores e comerciantes da região ouvidos pela reportagem garantem que desde o fim de setembro a intervenção estava parada, apenas com alguns funcionários no local, sem movimento de maquinário. “Quando começou a gente achou que ia terminar. Mas agora parou e não sabemos se vai voltar [o trabalho para conclusão]”, reclamou o comerciante Rafael Ferreira, 28 anos.

O titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, explicou que por conta da falta de pagamento as empresas reduziram as frentes de serviço, mas agora a obra foi totalmente paralisada, conforme constatado pela equipe do Correio do Estado. “As empresas precisam receber para retomar”, disse Fiorese.

As obras na região, segundo o secretário, estão 60% concluídas, sendo investidos R$ 29.416.122,52. Duas empresas são responsáveis pela construção, a Dreno Construções – Eireli EPP (segundo e terceiro lote – da Abolição até a Aquário) e a Gimma Engenharia Ltda. (primeiro lote – da Rua Santa Adélia até Abolição) e nenhuma das duas recebeu os pagamentos referentes à medição nos últimos meses.

CONTRADIÇÃO

O atraso contradiz a promessa do governo federal de que, depois que fosse votada a reforma da Previdência, os recursos seriam liberados. “Isso não aconteceu. Na última visita do prefeito a Brasília [DF], ele foi ao Ministério do Desenvolvimento Regional e eles disseram que esperam um repasse do Ministério da Economia”, afirmou Fiorese.
Apesar de não haver previsão para o pagamento dos valores em atraso nem para a retomada das obras, o secretário disse que “tem esperança” de que ainda este ano a construção da contenção seja retomada.

“Eles disseram que iam entregar a parte de lá [sentido bairro-centro] no aniversário da cidade, mas como não deu eles só abriram o trânsito e fecharam alguns buracos na rua”, contou o mecânico Lucas Medina, 32 anos, que trabalha há três anos no local.

Iniciada em fevereiro de 2018, a revitalização abrange trecho de quase dois quilômetros da avenida, atravessando os bairros Coophamat, Taquarussu, Jacy e Marcos Roberto. Paredões de gabião com até 9 metros de altura foram levantados para proteger as margens da erosão e evitar o transbordamento do Rio Anhanduí. A via terá drenagem, ciclovia, urbanização e recapeamento das duas pistas. 

A obra total está orçada em R$ 48.497.999,21 e tinha previsão de término para setembro deste ano. Em relação ao restante da obra, da Rua do Aquário no sentido Bairro Aero Rancho, a estabilização da margem esquerda – com placas de concreto e gabião – só será iniciada quando a Águas Guariroba remanejar o emissário da rede de esgoto instalado à margem do rio. A tubulação será removida em direção à pista, para ficar a 4 metros da parede do gabião. Conforme o secretário, não há previsão para as obras começarem.

CHUVA

Sobre o trecho que apresentou problemas em razão da chuva, o secretário promete que logo a empresa responsável vai arrumar o estrago. “O terreno ali não estava bem firme, por isso, aconteceu a queda”, justificou.

A chuva de quinta-feira (7) levou parte do asfalto próximo ao cruzamento entre a Avenida Ernesto Geisel e Rua do Aquário. Esta é a segunda vez, em menos de um mês, que isso acontece. 

No dia 19 de outubro, por conta de outra chuva, parte do asfalto próximo a uma tampa de esgoto foi levado pela enxurrada. Conforme funcionários que trabalham em frente ao local, equipe da prefeitura havia recapeado o trecho há aproximadamente 10 dias. Porém, com a chuva de quinta-feira o local foi novamente afetado.

De acordo com o secretário de Infraestrutura do município, Rudi Fioresi, uma equipe da prefeitura esteve nesta sexta-feira (8) no local para avaliar o que causou a cratera, que dessa vez está mais funda. “Temos que avaliar se foi algum cano que estourou também, ou foi só a chuva”. 

O secretário afirmou ainda que, caso confirmar que houve problema nos canos, a obra só deverá começar após passar o período chuvoso. Além disso, parte da obra na avenida sofreu estragos por conta da chuva, uma parte da parede do canal na ponte do cruzamento com a Rua do Aquário desmoronou. De um lado, o guard-rail caiu e a base afundou porque parte da terra cedeu. Já do outro houve um pequeno deslizamento e a proteção entortou.

Como o trecho representa uma descida, a água dos dois lados da via fica represada naquela quadra. 

48,4 milhões de reais é o valor total do investimento previsto nos três trechos da Avenida Ernesto Geisel. Já o repasse em atraso, referente aos meses de julho, agosto e setembro, chega a R$ 3 milhões –sem levar em conta o do mês de outubro.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Falência da Santa Casa é questão <br>de tempo, diz Câmara
INVESTIGAÇÃO

Falência da Santa Casa é questão
de tempo, diz Câmara

Inmet alerta para pancadas de chuva em parte de MS
TEMPO

Inmet alerta para pancadas de chuva em parte de MS

Família tradicional de Ponta Porã ajudou na fuga de doleiro
LAVA JATO NO PARAGUAI

Família tradicional de Ponta Porã ajudou na fuga de doleiro

Cidade do Natal será aberta em dezembro com shows e roda gigante
CAMPO GRANDE

Cidade do Natal será aberta em dezembro com shows e roda gigante

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião