Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Pacientes serão transferidos do Hospital Regional para que leitos sejam usados com pessoas com coronavírus

Unidade é referência no enfrentamento do novo vírus em circulação
22/03/2020 09:22 - Fábio Oruê, Glaucea Vaccari


 

Pacientes que atualmente ocupam 140 leitos no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS) serão transferidos para outras unidades de saúde de Campo Grande para que os leitos sejam usados com pessoas que estiverem infectadas pelo novo coronavírus. 

Conforme revelou o secretário de saúde do Estado, Geraldo Resende, a perspectiva da gestão é que sejam liberados ao todo 300 leitos. “Nesse primeiro momento, [estamos vendo a] possibilidade de liberação de 140 leitos; perspectiva para até 300 leitos. Será de acordo com especialidades que possam ir para outros hospitais e esses pacientes em tratamentos possam ir para outras unidades; São 100 [encaminhados] para a Santa Casa e 40 para o HU [Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian] e [Hospital do] Pênfigo”, disse ele em transmissão ao vivo, na tarde de ontem (21). 

Ainda não há previsão sobre quando os pacientes devem ser transferidos, mas o HR já iniciou os procedimentos como uma das referências hospitalares ao enfrentamento do coronavírus. De acordo com a assessoria da saúde estadual, espaço físico com capacidade de nove leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto, reserva de 26 leitos de enfermaria semi intensiva e chamamento de novos profissionais já foram disponibilizados. 

Além disso, na área externa do local uma tenda foi montada para funcionar como Centro de Triagem, com o objetivo de atender todos os pacientes com sintomas da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Só serão encaminhados para dentro da unidade os casos de extrema urgência. O número de pacientes que a estrutura comporta para aprender não foi divulgado. 

 

Felpuda


Pré-candidato pode estar sendo “fritado” sem ao menos perceber. Redes sociais que têm estreitas ligações com ex-cabecinhas coroadas e que prometeram apoio estão enaltecendo que só certo pré-candidato de outro partido. Quem conhece as ditas figurinhas de, digamos, outros carnavais, acredita que está em curso operação sorrateira para mudar internamente os rumos da futura campanha. Trocando em miúdo: ceder a cabeça de chapa.