Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REDE PRIVADA

Pacientes aguardam mais de quatro horas para atendimento no Prontomed

Hospital diz que houve aumento da demanda por conta de viroses e dengue
25/04/2019 20:35 - GLAUCEA VACCARI


 

Problemas de demora para atendimento e superlotação nas unidades de saúde não atinge apenas a rede pública. Nesta quinta-feira (25), o Prontomed da Santa Casa, que é o pronto atendimento privado, estava cheio e com pacientes aguardando horas para passar pelo médico, segundo informou uma ouvinte da Rádio Mega 94. 

Conforme a leitora, por conta de problemas de saúde ela procurou a unidade às 14h e só conseguiu ser atendida por um médico às 17h30. Após passar pelo profissional, a mulher ainda precisou aguardar horas para tomar uma medicação na veia, o que não ocorreu até a noite de hoje. 

"Está lotado [a unidade] e não tem mais onde colocar gente. O corredor está com mais de 20 pacientes aguardando para tomar soro e há pessoas em pé passando mal. É muito descaso", disse a mulher.

Ainda conforme a ouvinte, funcionários teriam dito que há falta de profissionais para o atendimento, por conta de atestados ou demissões. 

"A nossa saúde está um caos, não só a pública, a privada está indo pelo mesmo caminho", concluiu a paciente. 

A Santa Casa informou, por meio da assessoria de imprensa, que a demora é causada pela alta demanda. Segundo o hospital, há muitos pacientes com sintomas de dengue e viroses que procuram a unidade, o que provoca fila e, consequentemente, a espera é maior. 

Ainda segundo a Santa Casa, não houve falta de médicos nesta quinta-feira e médicos que atendem convênios tanto no Prontomed quanto em outros hospitais afirmaram que o problema tem ocorrido em várias unidades da rede privada.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.