CRIME ORGANIZADO

Operação contra o PCC movimenta polícia em sete cidades

Capital está entre locais com alvos da Polícia Civil
22/08/2019 09:58 - RAFAEL RIBEIRO


 

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul deflagrou, na manhã desta quinta-feira (22), operação de combate ao crime organizado. Ao todo estão sendo cumpridos 28 mandados de prisão, quatro mandados de busca e apreensão de adolescentes infratores para internação e 32 mandados de busca e apreensão domiciliar.

Conforme a Polícia Civil, as diligências estão sendo realizadas nas cidades de Nova Andradina, distrito de Nova Casa Verde, Batayporã, Taquarussu, Anaurilândia, Dourados e Campo Grande.

A Operação conta com a participação, simultânea, de aproximadamente 100 policiais, entre delegados, investigadores e escrivães de Polícia Judiciária, lotados nas Delegacias de Polícia Civil de diversas cidades do Estado, dentre elas: Batayporã; Taquarussu; Nova Andradina; Ivinhema; Angélica; Santa Rita do Pardo; Anaurilândia; Bataguassu, Regional de Fátima de Sul, Regional de Três Lagoas; Regional de Naviraí; Regional de Dourados; além das Delegacias Especializadas: DERF (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos e Furtos), GARRAS (Grupo Armado de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros), DEFRON (Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira) e DENAR (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico).

As investigações iniciaram, entre os meses de novembro de 2018 e janeiro de 2019 pelas delegacias de Batayporã e Taquarussu, através das “Operações Collimatus” e “Texas Livre”, respectivamente.

A corporação promete divulgar mais informação sobre os trabalhos no decorrer do dia.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".