Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 25 de setembro de 2018

Contrabando

Operação ataca quadrilhas na rota
de cigarreiros em MS e mais 3 estados

Esquema de contrabando causou prejuízo de R$ 14.000.479,20 ao fisco

17 ABR 2018Por RENAN NUCCI09h:00

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-fera a Operação Homônimo, para desarticular duas quadrilhas de contrabandistas de cigarros que agiam em Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e Espírito Santo. O grupo, com entrepostos em Naviraí e Iguatemi, cidades localizadas na principal rota de cigarreiros do país, importava produtos paraguaios sem autorização da Receita Federal e causou prejuízo estimado em R$ 14.000.479,20 aos cofres públicos.

A PF cumpre ao todo 35 mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária,  45 de busca e apreensão e 32 de sequestro e bloqueio de bens, em decorrência de investigações iniciadas em agosto de 2017 pela delegacia de Sorocaba (SP). Algumas pessoas detidas hoje já haviam sido alvos da Operação Mandrin, deflagrada pela mesma delegacia em 2007, também pela prática de contrabando.

Os cumprimentos dos mandados são realizados em, além de Sorocaba, Naviraí e Iguatemi, Jundiaí (SP), Piracicaba (SP), Várzea Paulista (SP), Cesário Lange (SP), São Paulo (SP), Linhares (ES) e Umuarama (PR), através de efetivo de aproximadamente 200 policiais, além de  servidores da Receita Federal e da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

Ao longo das investigações foram feitos 17 autos de prisão em flagrante com o apoio da Polícia Rodoviária Estadual, resultando na prisão de 25 suspeitos, na apreensão de 25 veículos entre caminhões, vans e automóveis, bem como na apreensão de 4.276.000 maços de cigarro.

Segundo a PF, levando-se em conta os preços considerados pela Receita Federal para fins tributários, estima-seque o prejuízo causado às oprganizações criminosas apenas com os flagrantes sejam de aproximadamente R$ 13,7 milhões. Em tributos sonegados, tem-se o valor de R$ 14.000.479,20 em detrimento aos cofres públicos.

Estima-se que as duas quadrilhas movimentem mensalmente 7.200 caixas de cigarros, no importe de R$ 5.760.000,00, com lucro real de R$ 2,5 milhões. Um policial militar foi preso preventivamente e encaminhado ao presídio Romão Gomes, em São Paulo. O nome da operação, Homônimo, decorre do fato de que, coincidentemente, os chefes das duas organizações investigadas são conhecidos por “Roberto”,embora se tratem de pessoas distintas.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também