Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MAIS VAGAS

'Onde eles fecharem, vamos abrir', diz prefeito sobre escolas estaduais

Município tem interesse nas unidades de ensino do Governo com atividades encerradas
02/12/2019 11:07 - RICARDO CAMPOS JR. e DAIANY ALBUQUERQUE


 

A prefeitura está interessada em abrir escolas municipais em todos os estabelecimentos de ensino que o Estado fechar no fim de 2019 e não for reaproveitar o prédio. O anúncio foi feito pelo prefeito Marcos Trad (PSD) nesta segunda-feira (2) durante o anúncio das operações de segurança para o Centro no fim de ano.

“Todas aquelas (escolas) que eles falarem que não estão usando mais, eu não discuto as razões do Governo, o município vai trazer para dentro e proporcionar mais e mais vagas. Quando eu assumi a gestão, havia 96 mil alunos e hoje eu estou com 107 mil”, afirmou o gestor.

O anúncio é um alívio pelo menos para os responsáveis dos estudantes do ensino fundamental, já que o município não trabalha com ensino médio.

“As pessoas precisam estudar, as mães precisam trabalhar. Eu sempre me pautei pela educação e cada vez mais nós vamos abrir escolas municipais”, disse Trad.

FIM DAS ATIVIDADES

Serão quatro escolas estaduais fechadas no fim do ano, 21 se forem contabilizadas as que tiveram as atividades suspensas no decorrer de 2019. Até o momento o Governo só anunciou o nome de uma: Carlos Henrique Schrader, que não vai passar para a Rede Municipal de Ensino porque vai virar sede da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte).

Pais e responsáveis pelos alunos da unidade de ensino reclamam da decisão. Contudo, o poder público já adiantou que não voltará atrás.

Segundo a titular da Secretaria de Estado de Educação (SED), Maria Cecília Amêndola da Motta, se a pasta fosse levar em consideração apenas a queda no número de alunos em Mato Grosso do Sul nos últimos anos, 72 escolas poderiam ter sido fechadas por conta da baixa procura.

De 2015 para cá foram 16 mil alunos a menos e se levar em consideração o ano de 2010 foram 52 mil alunos a menos, conforme a secretária. Como efeito disso, 1.700 salas de ensino do período noturno foram fechadas no início deste ano. Se levarmos em conta que cada uma dessas salas abrigavam 30 alunos, cerca de 51 mil estudantes foram transferidos.

Felpuda


O sumiço de algumas figurinhas carimbadas da política não acontece em virtude da necessidade de isolamento como uma das formas de prevenção à pandemia. Em verdade, seria porque não têm mesmo o que e a quem falar. Com o advento das redes sociais, quem acha que fazer campanha eleitoral continua como na época do “eu prometo” está a um passo de ver o sonho de conquistar mandato se transformar em pesadelo. Pelo jeito, não estão nem conseguindo dormir.