Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CALOR EXTREMO

Onda de calor continua e Inmet alerta para risco de morte

Alerta vigente é de grande perigo de hipertermia por conta de temperaturas de até 45°C
10/09/2019 18:17 - GLAUCEA VACCARI


 

Onda de calor, com temperaturas acima de 40°C e sensação térmica de 45°C, registrada hoje em Mato Grosso do Sul e que deve continuar pelo próximos dias, podem trazer sérios problemas à saúde, com risco de morte, segundo alerta de grande perigo emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Conforme o aviso, que tem vigência para hoje e amanhã (10), 36 municípios do Estado estão em alerta pelo risco de hipertermia, que pode ocasionar a morte devido ao calor, incluindo Campo Grande. As temperaturas, que tradicionalmente são altas em setembro, estão 5°C acima da média por um período superior a cinco dias.

De acordo com o meteorologista Natálio Abrahão, esta terça-feira (10) foi o dia mais quente do ano no Estado, com temperatura de 40,7°C em Coxim, sensação de 45°C e umidade de 13%. Em Campo Grande, os termômetros registraram 36,9°C, sensação de 40,70°C e umidade de 15%. Previsão indica que quarta-feira (11) deve ser quente, podendo haver novo recorde de calor.

Os índices de umidade abaixo de 15% são considerados de emergência, semelhante ao clima de deserto, e podem ocasionar riscos à saúde. Defesa Civil orienta que população aumente a ingestão de água, faça refeições leves e mais frequentes e evite exposição direta ao sol, além de usar protetor solar.

PREVISÃO

Para esta quarta-feira, previsão é que onda de calor e tempo seco continuem intensos em todo o Estado. Temperaturas podem chegar a 43°C no norte do Pantanal e a 38°C em Campo Grande, com sensação de mais calor.

Não há previsão de chuva, devido as condições meteorológicas de forte subsidência, que é a alta pressão que promove o movimento descendente de ar de níveis superiores à superfície, inibindo o desenvolvimento de nuvens de chuva convectiva.

Umidade mínima chega a ficar abaixo de 15%, especialmente em áreas do centro-norte do estado, inclusive da Capital.

Felpuda


A tal estratégia de jogar informações nas redes sociais com objetivo de prejudicar adversários está começando a gerar reações. Uma dessas figurinhas vai ter de explicar, na Justiça, o por quê de postagem trazendo suspeitas pesadas contra cabeça coroada, que não gostou nadica de nada de ver o seu nome sendo usado como “bucha de canhão” para fins eleitoreiros. Vem chumbo grosso por aí! E sai debaixo!...