Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

Rodovias

Novo trecho do macroanel rodoviário
ligará saídas de Cuiabá e Rochedo

Obra iniciada há seis anos foi retomada com possibilidade de ampliações

19 OUT 2017Por ALINE OLIVEIRA13h:46

A obra de implantação do braço norte do macroanel rodoviário, no trecho que ligará as saídas de Cuiabá (pela BR-163) e Rochedo (MS-080), foi retomada com início da drenagem em estrada começada há seis anos. Os investimentos chegam a  R$ 13 milhões e serão custeados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

O projeto prevê a construção de um trecho com 24 quilômetros, com acesso às saídas para Corumbá (BR-262) e Sidrolândia (BR-060), além de oferecer uma alternativa ao anel rodoviário para chegar a saída para  São Paulo e região sul do Estado (BR-163).  

Conforme informações divulgadas pela Prefeitura de Campo Grande, está prevista ainda a construção de uma rotatória de acesso a BR 163, na parte final do braço norte do macroanel. No entanto, a concessionária responsável pela administração da rodovia federal, a CCR MSVia, avalia a possibilidade de construir um viaduto no local.

PARCERIA MUNICIPAL

Para que a obra fosse retomada, a Prefeitura teve que resolver várias pendências: prorrogou por mais um ano o convênio que venceu em maio e incluiu estas obras de drenagem não previstas originalmente, além  de ter promovido mudanças  no projeto da  rotatória planejada para a MS-080, que precisou ser alterado para se adequar a duplicação da rodovia neste trecho em andamento.

A  pavimentação da MS-010 (saída para Rochedinho) gerou a necessidade de uma rotatória no trecho em que o anel cruza com a rodovia.

Conforme o relatório do engenheiro fiscal da obra, 87,30% da terraplanagem já foi feita; 63,55% da pavimentação e 72,97% da drenagem, além de terem sido concluídas as duas pontes planejadas, sobre os córregos Botas e Ceroula.

Do valor total previsto para investimento, R$ 26.440.565,17 são de responsabilidade da União, enquanto o município entra com a contrapartida de R$ 2.827.949,02, basicamente destinada as despesas com desapropriações.

 

Leia Também