Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PARABÉNS

Nesta segunda, cinco cidades fazem aniversário em Mato Grosso do Sul

Todos foram fundadas ou emancipadas em 11 de novembro de 1963
11/11/2019 16:03 - FÁBIO ORUÊ


 

Este 11 de novembro é dia de celebração para cinco municípios de Mato Grosso do Sul: Anaurilândia, Ivinhema, Jateí, Naviraí e Pedro Gomes comemoram um novo ano que se inicia. Somente Naviraí festeja o aniversário na data de emancipação, quando foi separada de Caarapó, em 1963. Exatamente no mesmo dia, Anaurilândia, Ivinhema, Jateí e Pedro Gomes eram fundadas e hoje as cinco completam 56 anos. 

Anaurilândia, que está no leste do Estado, faz divisa com Paraná e São Paulo e começou sua história ainda como fazenda Água Amarela, de Ciriaco Gonzáles e sua esposa Anaurelíssia Gonzáles. O local foi loteado e em 11 de Novembro de 1963 ocorre o desmembramento da Vila Água Amarela que passa a se chamar Município de Anaurilândia, sendo uma homenagem a esposa de Ciriaco Gonzáles, Anaurelíssia Gonzáles. 

Também conhecida como Terra Prometida, Ivinhema foi fundada e emancipada em 11 de novembro de 1963 e fica situada do sudoeste de MS. Está às margens do Rio Ivinhema, entre os rios Piravevê e Guiray, a cidade é um dos centros mais importantes do Vale do Ivinhema. Atualmente, o município está em pleno desenvolvimento, com a instalação de diversas empresas, abertura de loteamentos particulares e o mercado da construção civil aquecido, segundo a prefeitura da cidade. 

Abençoada dia após dia pelo Cristo, símbolo-maior de Jateí, o nome da cidade é uma variante do nome Jataí, que diz respeito a uma espécie de abelha silvestre cujo mel é muito apreciado. Conforme informações do Executivo Municipal, diz a lenda que o povoado não tinha nome, era apenas mais uma vila pertencente a Dourados e esta comunidade era composta por agricultores de subsistência que viviam cortando árvores para seu sustento. Num dado dia, alguns homens do povoado foram cortar lenha em uma mata que sabidamente tinha abelhas jataí, por lá retiraram a madeira que queriam e foram embora. Ao chegar em casa o filho de um dos homens perguntou, "pai cadê o machado do Senhor?" e ele espontaneamente respondeu, "esqueci lá no Jateí". Assim, diz a lenda, deu-se o surgimento do nome de Jateí.

Já a Capital do Cone-sul de MS, Naviraí foi um projeto urbanístico da Colonizadora Vera Cruz Mato Grosso Ltda de criar, em pleno território do então Mato Grosso, uma nova Canaã. Em 1952, chamou-se inicialmente povoado Vera Cruz, em função da colonizadora homônima, e desde 1958 possui o nome atual, quando Naviraí foi elevada a distrito. A partir de então, a cidade se desenvolveu e tornou-se uma das mais importantes de Mato Grosso do Sul graças aos seus primeiros empreendedores. 

Por fim, ao centro-norte, Pedro Gomes começou como um pequeno povoado de casas residenciais pertencentes aos fazendeiros da região e recebeu a denominação de Patrimônio Amarra-Cabelo, pois existia ali um córrego, onde os viajantes paravam para dar um retoque na indumentária (roupa típica de 1950). Os mais antigos moradores contam que as mulheres, quando havia festa na cidade, aí arrumavam ou amarravam os cabelos. O Distrito criado com a denominação de Pedro Gomes pela Lei Estadual nº 1161, de 19 de novembro de 1958, sendo subordinado ao município de Coxim. Elevado à categoria de município com a denominação de Pedro Gomes, pela Lei Estadual nº 1942, de 11 de novembro de 1963, desmembrado do município de Coxim e instalado em 22 de maio de 1965.

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...