BR-158

Na volta da pescaria, motorista perde controle de veículo, capota e morre

Amigos acreditam que condutor sofreu mal súbito ao dirigir
26/08/2017 10:48 - BRUNA AQUINO


Gilberto de Souza, de 66 anos, morreu após sofrer acidente, ontem (25), na rodovia BR-158, em Aparecida do Taboado. Vítima voltava de pescaria, quando perdeu o controle da direção e veículo capotou em ribanceira. No veículo estava mais uma vítima, de 67 anos, que sofreu ferimentos leves.

Segundo informações do boletim de ocorrência, vítima que sobreviveu ao acidente e estava no carro - um Gol Power prata - junto com Gilberto, informou que ele e mais três amigos, em dois carros, viajaram para praticar pesca esportiva em Coxim. Na volta, vítima estava dirigindo, porém, ao parar em Cassilândia para abastecer o veículo, os dois decidiram trocar de lugar e Gilberto que saiu conduzindo o automóvel.

De acordo com a vítima, quando seguiam pela rodovia, de repente Gilberto invadiu a pista contrária e a vítima começou a gritar o nome de Gilberto, mas ele não respondia.Veículo caiu em ribanceira e capotou até parar morro a baixo. Mulher que passava pelo local ajudou no resgate e acionou a policia.

Gilberto morreu, enquanto o amigo teve ferimentos leves e luxação no ombro esquerdo.

Vítima disse que Gilberto tinha problemas cardíacos e acredita que ele possa ter sofrido mal súbito enquanto dirigia. No veículo perícia encontrou R$ 350 e remédios para insuficiência cardíaca.

As policias Militar e Rodoviária Federal, além do Corpo de Bombeiros estiveram no local para realizar os procedimentos de praxe.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".