INVESTIGAÇÃO

Mulher sai de motel correndo, tem surto no meio da rua e morre

Cocaína e remédio foram encontrados no quarto em que vítima estava com empresário
17/01/2020 10:26 - RICARDO CAMPOS JR.


 

A Polícia Civil investiga a morte de uma médica veterinária, de 29 anos, na saída de Campo Grande para Três Lagoas, durante a noite de quinta-feira (16). Segundo informações do boletim de ocorrência, testemunhas viram a vítima sair correndo de um motel transtornada, espumando pela boca, gritando o tempo todo, se jogando e rastejando pelo chão até entrar embaixo de um caminhão.

O motorista do veículo disse aos investigadores que conseguiu frear a tempo de evitar o atropelamento. Quando ele desceu para ver o que estava acontecendo, encontrou a moça agarrada entre os eixos.

Um empresário, que estava com a vítima no motel, apareceu no local em uma caminhonete Amarok preta tentando colocá-la no veículo, mas ela se recusava aos gritos. Ele acelerou e saiu em alta velocidade.

Em dado momento, ainda conforme os relatos de testemunhas, ela caiu no chão desacordada. Uma equipe do Corpo de Bombeiros chegou ao local e tentou reanimá-la, mas sem êxito.

Peritos entraram no quarto do motel onde o casal estava antes do surto. Eles encontraram quatro latas de cerveja, um frasco de descongestionante nasal e uma porção de cocaína. A recepção forneceu o comprovante de pagamento e a comanda de controle.

O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro. O advogado do empresário esteve no local.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".