Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PORTAL CAIOBÁ

Mulher desacata policiais que atendiam denúncia de algazarra

Dona da casa desafiou militares a prende-la
19/04/2019 15:40 - ALINE OLIVEIRA


 

Uma festa realizada na Rua Leão Zardo, no bairro Portal Caiobá II terminou em desacato e prisão na madrugada desta sexta-feira (19). Uma quipe da Policia Militar (PM) foi até o local depois de receber denúncias de que o local estava incomodando a vizinhança, em razão da gritaria, algazarra e música alta.

Chegando no local, os militares foram recebidos por um homem de 23 anos que reagiu ante o pedido para baixar o volume do som. Segundo consta no boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Pronto Atendimento (Depac Piratininga), o dono da casa disse a equipe:

"Sou sobrinho de um Policial Civil e ele me disse que eu não sou obrigado a me identificar para nenhum policial. E que vocês não têm mandado para fazer a gente acabar com a festa".

Além do rapaz, uma mulher de 37 anos que estava na festa se aproximou com um celular gravando a conversa e falando palavras baixo calão e desafiando os policiais a prende-la. Ao darem voz de prisão, os policiais foram atacados pelo homem que incitou outros convidados da festa e agredirem os militares. 

Diante da situação os policiais acionaram apoio junto ao CIOPS que enviou reforços de três equipes. Dois homens e a mulher foram presos por resistência, desobediência, desacato e perturbação. Apesar da tensão ocasionada no local não houve agressões físicas e os envolvidos tiveram que ser algemados e encaminhados para Depac. 

 

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.