Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RISCO À SAÚDE

Mulher acumulava grande quantidade de lixo em casa

Suspeita é que ela sofra de transtorno psiquiátrico
09/10/2019 11:22 - GLAUCEA VACCARI


 

Mulher de 67 anos foi encontrada vivendo em uma residência em condições insalubres, na região do bairro Vilas Boas, em Campo Grande. O imóvel estava em condições higiênico sanitárias precárias, com acúmulo de diversos materiais, como latas e garrafas, entre outros.

Ação conjunta foi realizada na residência pela Coordenadoria de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU) e a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista (Decat), após denúncias do acúmulo de lixo no local.

A casa apresenta lto risco sanitário, sendo ambiente propício para a proliferação de animais da fauna sinantrópica, como baratas, mosquitos, morcegos e escorpiões.

Agentes do serviço de Manejo Ambiental da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) e trabalhadores do Proinc auxiliaram nas ações de recolhimento de materiais inservíveis, como latas, garrafas e matéria orgânica que se acumulavam no local, sendo necessário um caminhão báu para retirar todo o material recolhido.

Moradora do local foi atendida por equipes do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Margarida e da Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila Carlota, mas recusou auxílio e assistência dos profissionais de saúde. Suspeita é qeue ela sofra de algum transtorno psiquiátrico. 

A mulher, que é estrangeira, foi encaminhada à Delegacia de Políca Civil para prestar esclarecimentos e assinar termos de autuação inerentes à ocorrência. Ela já responde processos por maus tratos a animais, crime ambiental e manutenção de imóvel em condições insalubres e de depósitos potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.