Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CONCURSO PARA PROFESSOR

MPF recomenda que IFMS aumente
o número de vagas para negros

Certame prevê menos vagas do que determina a lei

14 JUN 19 - 17h:43FÁBIO ORUÊ

Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), nesta sexta-feira (14), que publique um edital complementar ao 089/2018, que regulamenta o concurso público de provas para o cargo de Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico da instituição de ensino, aumentando o percentual de reserva para negros, que é de 20% sobre a totalidade de vagas oferecidas.

No edital inicial, a previsão é de 14 vagas destinadas à ampla concorrência e apenas duas vagas para pessoas pretas ou pardas. A reserva de 20% das vagas para pessoas pretas e pardas é garantida pela lei nº 12.990/2014.

Das sete áreas previstas no edital, duas destinam 3 vagas para a ampla concorrência: administração e arquitetura, prevendo também, cada uma delas, uma vaga para pretos ou pardos e uma vaga para pessoas com deficiência.

As demais áreas preveem apenas vagas destinadas à ampla concorrência: biologia (1 vaga), educação física (2), informática/redes (1), português/inglês (2) e química (2).

PROBLEMAS NO EDITAL

O próprio edital do IFMS especifica que “somente haverá reserva imediata de vagas para os candidatos negros nos cargos com número de vagas igual ou superior a 3”, aplicando o percentual de reserva para negros sobre cada área oferecida e não sobre o número total de vagas, contrariando a legislação.

O MPF destaca que, uma vez aplicados os percentuais de reserva sobre o número total de vagas, este número chegaria a 4, destinadas a pessoas autodeclaradas pretas e pardas, o dobro do que foi efetivamente disponibilizado.

Outro problema detectado pelo órgão no certame é que a sistemática adotada pelo instituto na convocação para a prova de desempenho didático, pautada na ordem de classificação geral, sem fazer qualquer distinção entre as listas das vagas de ampla concorrência, pessoas negras e pessoas, com deficiência, impactou desproporcionalmente sobre os candidatos cotistas, já que os percentuais de reserva de vagas devem ser aplicados sobre todas as fases do concurso público.

Por isso, o MPF recomenda, além de uma sessão pública de sorteio com o objetivo de distribuir as duas novas vagas para negros entre as áreas que não foram contempladas no edital de abertura, a publicação de um edital complementar com a finalidade de convocar um número maior de candidatos negros e com deficiência para a realização da prova de desempenho didático.

O documento destaca ainda a observação desses critérios nos futuros concursos públicos a serem promovidos pelo IFMS, que tem o prazo de 15 dias, a partir do recebimento, para informar se acatará os termos da recomendação e comprovar as medidas adotadas.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Pesquisa mostra que 97% das mulheres já sofreram assédio em transporte

Em audiência sobre tragédia da Chape, Nelson Trad cobra ajuda à familiares
ACIDENTE AÉREO

Em audiência sobre tragédia da Chape, Nelson Trad cobra ajuda à familiares

Nove são presos por suspeita de envolvimento com furto de cocaína em delegacia
INVESTIGAÇÃO EM SIGILO

Nove são presos por envolvimento com furto de cocaína em delegacia

Acusada de negligência, prefeitura renova licença do Alphaville 3
DEZ ANOS

Acusada de omissão, prefeitura renova licença do Alphaville

Mais Lidas