EDUCAÇÃO

Ministro da educação, Mendonça Filho cumpre agenda no Estado

Ele passará por Campo Grande e em seguida seguirá para Dourados
19/08/2017 18:00 - BRUNA AQUINO


 

O ministro da Educação, Mendonça Filho, visita nessa segunda-feira (21), o Estado do Mato Grosso do Sul, onde cumprirá agenda de compromissos em Campo Grande e Dourados.  Ele vem a convite do senador Pedro Chaves (PSC)

De acordo com o senador, a agenda foi combinada há meses “Negociamos a agenda durante vários meses e encontramos uma data na qual, entre outras atividades, o ministro vai inaugurar obras, orientar os prefeitos sobre os programas do MEC e lançar a cartilha que elaborei sobre o novo Ensino Médio”, afirma Chaves.

Agenda

Na Capital a partir das 9 h na Assembleia Legislativa, o ministro participará da cerimônia de instalação e posse do Conselho de Reitores das Instituições de Ensino Superior do Estado.

Por volta das 10h45min conversará com vereadores e prefeitos sobre o programa Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) em Ação e lançar a cartilha do novo Ensino Médio na sede da Associação Sul-mato-grossense de Municípios (Assomasul).

Além disso às 12h30min irá participar da inauguração do Ceinf Professor Eloy Souza da Costa, no bairro Tijuca II, em Campo Grande.

Dourados

Em Dourados, Mendonça Filho irá inaugurar às 16 h, o Bloco D da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e irá assinar portaria com a liberação de recursos para o Hospital Universitário.

O último compromisso do ministro da Educação no município começa às 18h30min, com a inauguração do Centro Estadual de Educação Profissional Professora Evanilde Costa da Silva, no Jardim Água Boa.


 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".