Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INFRAESTRUTURA

Ministério está empenhado em recuperar estradas vicinais de assentamentos de MS

Governador negocia recursos federais em estadia em Brasília
14/08/2019 11:31 - RAFAEL RIBEIRO (com assessoria)


Projetos que preveem a melhoria da infraestrutura de assentamentos de Mato Grosso do Sul foram debatidos pelo governador em exercício Murilo Zauith (DEM) no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A intenção do gestor é conseguir recursos federais para recuperar os acessos de pelo menos 200 assentamentos.

No encontro, realizado na terça-feira (13), Murilo apresentou o Programa de Mapeamento de Estardas Vicinais de Acesso a Aldeias e Comunidades Rurais da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), vinculada à Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura). O programa visa melhorar as condições de estradas e fortalecer a agricultura familiar.

“Queremos as estradas com boas condições, cascalhadas e com pontes de concreto”, afirmou o gestor. Segundo ele, a sinalização da ministra Tereza Cristina foi positiva. “Podemos fazer um termo de cooperação para atender os assentamentos e as milhares de famílias que produzem e precisam das estradas para levar a produção às cidades”, emendou.

Tereza Cristina afirmou que “o ministério vai fazer todos os esforços para empenhar recursos do orçamento do próximo ano” para executar o programa. Para ela, arrumar as estradas para produção também ajuda o homem do campo nas áreas da educação e da saúde, pois facilita o tráfego de ônibus escolares e ambulâncias.

Depois do encontro, Murilo revelou que os custos para recuperar os acessos dos assentamentos estão sendo levantados pela Agesul. O processo que vai quantificar a quilometragem entre os assentamentos e as cidades deve ficar pronto dentro de 40 dias.

Atualmente, 70% da cesta básica do brasileiro vem da agricultura familiar.

Felpuda


Dez vereadores da Capital mudaram de partido na tentativa de encarar a reeleição ou, dependendo do caso, disputar a vaga de vice-prefeito. Legendas foram “engordadas”, outras entraram em estado de inanição e outras ainda simplesmente sumiram do mapa. Que ninguém ouse perguntar a quem “trocou de camisa” qual a linha programática dos partidos em que agora estão filiados. Seria para eles, digamos, questão de pouca importância. Política tem dessas coisas...