Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

tratativa reajuste

Militares decidem em assembleia
por aquartelamento nesta semana

Polícia Militar e Bombeiros pedem 7% de aumento

28 AGO 17 - 18h:42MARIANE CHIANEZI

Policiais militares e bombeiros farão assembleia nesta terça-feira (29) para discutir proposta de reajuste feita pelo governo do Estado. O percentual de 7% solicitado pela categoria não foi aceito e a contraproposta ficou nos moldes iniciais. Nessa assembleia, os militares vão decidir se haverá aquartelamento na sexta-feira (1º).

Conforme o presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de MS (ACS), Edmar Soares da Silva, proposta do governador Reinaldo Azambuja não é coerente com trabalho que a classe tem desempenhado.

“O governo não nos atendeu e está tratando os policiais e bombeiros com muita falta de respeito. Queremos tratamento igual ao que a Polícia Civil recebeu”, disse Edmar.

Reajuste salarial proposto pelo governo seria de 5,49% para soldados, 5,01% de cabos, 3,82% para terceiro-sargento, 3,69% segundo-sargento, 3,55% primeiro-sargento e 3,48% para subtenente. Oficiais seguiriam com o reajuste anteriormente proposto, de 2,94%.

A reunião será feita na sede da associação e se não for aprovado o reajuste ofertado, uma das vias é deliberar pelo aquartelamento, que é quando os militares de todas as patentes ficam no quartel, sem sair às ruas. "Se não ficarem satisfeitos (os militares), é o que vai acontecer", declarou Edmar.

HISTÓRICO

De acordo com nota divulgada pela ACS, o governo estadual, inicialmente, propôs reajuste zero, mas depois ofereceu 2,94%, proposta que foi recusada.

O último reajuste concedido aos policiais militares e bombeiros de Mato Grosso do Sul foi dado em dezembro de 2014.

O aumento foi resultado do aquartelamento feito em maio de 2013, que resultou em três reajustes no período de um ano e sete meses. Em 2015, o aumento não foi dado, pois de acordo com Governo, reposição havia sido “adiantada” pela gestão anterior.

No ano passado, um abono de R$ 200 foi dado a todos os servidores, além de correções nos quinquênios, sendo que o valor já foi prorrogado até 2018.

O Executivo, teria garantido a verticalização. Assim, até 2018, o salário de um soldado em início de carreira chegaria a 20% do que ganha um coronel. A promessa, porém, não foi cumprida.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Pai que atirou em filho diz que intenção era assustar o rapaz
EM DEPOIMENTO

Pai que atirou em filho diz que intenção era assustar o rapaz

Concentração química de falsificados é 600% maior que o permitido
AGROTÓXICOS FRONTEIRA

Concentração química de falsificados é 600% maior

Corregedoria investiga participação de mais policiais em furto de cocaína
101 QUILOS

Mais policiais podem ter participado de furto de droga

Criança morre após ser atingida por pilar que sustentava rede
TRAGÉDIA

Criança morre após ser atingida por pilar de concreto

Mais Lidas