Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TEMPORAL

Meteorologia prevê mais chuva para MS neste fim de semana de carnaval

Em Campo Grande, chuva causou estragos e deixou 13 pontos da cidade alagados
21/02/2020 08:08 - Bruna Aquino


 

A chuva intensa que atingiu Mato Grosso do Sul principalmente em Campo Grande na tarde de ontem (20) não deve dar uma trégua tão cedo. Segundo alerta do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) está previsto pancadas de chuva por vezes forte com foco na região central do Estado. 

Nesta sexta-feira em MS, o tempo segue nublado a encoberto com pancadas de chuva e trovoadas isoladas por vezes fortes no centro-noroeste. Já nas demais áreas, tempo nublado com períodos de parcialmente nublado e pancadas de chuva. Esse cenário não deve acontecer nas regiões sudoeste e sul onde o tempo será nublado a parcialmente nublado com pouca possibilidade de chuva isolada.

Vai ter chuva na folia sim. Segundo a meteorologia, chove em todo o Estado até a terça-feira (25) de carnaval e haverá temperaturas amenas com mínima em torno de 18°C e umidade relativa do ar baixa - índice de 45%. 

Em Campo Grande a previsão é de mais pancadas de chuva durante o fim de semana e o início da quarta semana de fevereiro alcançando os dias de carnaval. Ontem (20), os dois momentos de chuva na Capital deixaram estragos caóticos e 13 pontos da cidade alagados, segundo a Defesa Civil Estadual. Asfaltos foram arrancados, carros foram arrastados pela enxurrada e obras espalhadas pela cidade tiveram as estruturas derrubadas, além de pessoas que ficaram ilhadas em casa ou até mesmo no meio da rua. 

Até ontem, o volume de chuvas registrou 73,2 milímetros conforme informou o meteorologia Natálio Abrahão ao Correio do Estado e a previsão indica mais chuva. 

ALERTA 

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de perigo potencial para temporais e risco para 67 municípios do Estado. Segundo o instituto, poderá chover entre 20 e 30 mm/h ou 50 mm/dia, com ventos intensos de 40 a 60 km/h. Com isso, é importante ficar atento ao risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas. 

DEFESA CIVIL 

Com o risco de temporal, o Coordenador da Defesa Civil estadual, coronel Fábio Catarinelli, recomenda cuidados importantes para evitar estar em situação de risco. “Tudo depende de cada município e do volume de chuvas, pode ser que haja alagamentos em algumas cidades, é importante que se o cidadão estiver no veículo e perceber que a água passou da linha do meio-fio deve evitar passar pelo local e procurar uma rota alternativa”, disse.  

Conforme Catarinelli, outra situação que deve ser evitada, é tentar consertar o telhado em dia de chuva. “Sempre acontece e há perigo de cair da escada. A orientação é, não tenha esse tipo de atitude, faça a manutenção do telhado antes do período chuvoso ou procure um profissional habilitado para fazer o serviço”, explicou. 

Sobre vendavais e raios, a Defesa Civil orienta não estacionar veículos próximo a outdoors e torres de transmissão. Além disso, em queda de raios, a orientação é não procurar abrigo debaixo de árvores, não usar aparelhos na tomada, principalmente telefones fixos, e celulares quando conectados ao fone ou carregador na tomada. 

O coordenador reforça que é importante sempre ter em mãos os telefones de emergência e se cadastrar na lista de contatos da Defesa Civil para receber alerta de temporais. “È importante destacar que a Defesa Civil não emite alerta via whatsApp, apenas por SMS, Google e tv a cabo”, concluiu. 

Para se cadastrar basta enviar um SMS para o número 40199 e no corpo da mensagem enviar o cep de sua residência. Se estiver em outro estado, basta enviar o cep da casa para receber o alerta do local.

 

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.