Quarta, 13 de Dezembro de 2017

sem dinheiro

Mesmo pronto, Hospital do Trauma
deve continuar parado

Necessidade é de R$ 6 milhões para custeio da unidade

7 DEZ 2017Por DA REDAÇÃO04h:00

Com previsão de a obra do Hospital do Trauma, anexo à Santa Casa de Campo Grande, ser finalizada ainda neste mês de dezembro, a indefinição relativa ao custeio – previsto em R$ 6 milhões – pode impedir o início imediato do funcionamento do local.

O maior hospital do Estado recebe R$ 20,3 milhões por mês para manter as atividades, valor que seria insuficiente para a nova unidade.

Reunião realizada ontem entre a direção da Associação Beneficente (ABCG), que administra o hospital, e representantes da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) começou a discutir a questão. O hospital acredita que os recursos serão destinados pelo Ministério da Saúde, uma vez que a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Sesau informaram que não podem garantir o repasse. 

Ao final do encontro, segundo a assessoria da Santa Casa, a atual contratualização entre a Santa Casa de Campo Grande e os entes federativos (de R$ 20,3 milhões) será revista para incluir o custeio do Hospital do Trauma.

A diretoria da ABCG realizará um plano operativo que contemple a nova previsão orçamentária da unidade. Após concluído, os valores estimados no documento serão apresentados às administrações municipal, estadual e federal, na intenção de garantir o financiamento público.

A reportagem procurou o Ministério da Saúde, que não deu explicações sobre o possível repasse para a Santa Casa até o fechamento desta edição.

*Leia reportagem, de Natalia Yahn, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também