Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

14 DE JULHO

Mesmo com caçambas, lixo é descartado irregularmente na 14

Por conta das obras do Reviva, Solurb disponibilizou contêineres, mas lixo é jogado na calçada
17/06/2019 18:29 - GLAUCEA VACCARI E FÁBIO ORUÊ


 

Com as obras do Reviva Campo Grande na rua 14 de Julho, a coleta de lixo tem causado confusão entre os comerciantes, que reclamam do acúmulo de sujeira nas calçadas. Em cada cruzamento, há caçambas disponíveis para o descarte dos resíduos, no entanto, está sendo comum a destinação irregular, segundo disseram lojistas ao Correio do Estado.

Gerente de vendas de uma loja de roupas, Nelson Souza, 38 anos, informou que há aproximadamente 10 dias o lixo estava acumulado na calçada. Segundo ele, como o cheiro estava insuportável, ele mesmo pediu para que os funcionários da Engepar, empreiteira responsável pela obra, fizessem a retirada, o que ocorreu na tarde de hoje, mesmo não sendo de responsabilidade deles a coleta.

“Algumas lojas passam com o carrinho com lixo, mas outras eu vi que jogaram na frente da loja. Vem um e coloca um saco, aí vem outro e coloca outro e vai acumulando”, disse.

Lixos estavam se acumulando nas calçadas

O descarte irregular é feito pelos próprios comerciantes ou pessoas que, como dito pelo gerente, veem o saco e depositam mais lixo no local. Isto porque, segundo a prefeitura, a concessionária responsável pela coleta, a CG Solurb, disponibiliza contêineres nos cruzamentos da rua, onde os lojistas devem depositar os resíduos.

Vendedor de frutas, de 42 anos, que trabalha em um ponto próximo a uma das caçambas, confirmou que o lixo estava acumulado e os funcionários da obra fizeram o descarte no local apropriado.

Correio do Estado esteve no local e constatou que há caçambas nas esquinas, mas muitas delas estavam cheias de lixo, com sacos acumulando ao redor. 

Ainda segundo a administração municipal, a coleta nos contêineres é feita diariamente pela concessionária, devido a grande demanda.

* Colaborou Eduardo Penedo

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.