Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ANIMAL PEÇONHENTO

Menino picado por escorpião está no CTI da Santa Casa

Vítima brincava fora de casa quando acidente aconteceu
30/03/2020 09:00 - Ricardo Campos Jr


 

O menino de 1 ano picado por um escorpião em Campo Grande está no Centro de Terapia Intensiva (CTI) pediátrica da Santa Casa. Segundo informações da assessoria de imprensa do hospital, ele está consciente, orientado e observado pela equipe de médicos.

Ainda não há previsão de procedimento cirúrgico. O quadro clínico é considerado estável. 

O acidente aconteceu domingo (29) de manhã. O médico responsável pelo Centro Integrado de Vigilância Toxicológica (Civitox), Sandro Benites, disse ao Correio do Estado que a vítima estava brincando no quintal de casa quando encontrou no imóvel chorando.

A família, ainda sem saber que se tratava de animal peçonhento, a encaminhou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Universitário.

Pelo quadro clínico, os profissionais de saúde descobriram que se tratava de incidente com escorpião, transferiram o paciente para a Santa Casa e acionaram o Civitox, que imediatamente acompanhou o caso.

Na Capital, em 2019 foram registrados 1,2 casos por dia de picadas de escorpiões.

O período mais crítico da disseminação são de dezembro a março, momento em que eles estão em estágio de acasalamento. Faltando dois dias para acabar o mês, escorpiões ainda fazem vítimas no Estado.

Por serem venenosos, as picadas podem ser fatais em crianças e idosos. Em dezembro do ano passado uma criança de seis anos ficou em coma após ter sido picada. A situação se agravou tanto que o coração da paciente funcionava apenas 30%. Depois de semanas internada, ela se recuperou e teve alta.

Informações do Sinan apontam que as picadas dos escorpiões aumentaram em 46% nos últimos quatro anos.

 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?