Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DE CABEÇA

Menino de 13 anos cai de grande altura em pedras de represa da JBS

Avó disse que ele teria sido expulso da escola
19/09/2019 14:10 - FÁBIO ORUÊ E IZABELA JORNADA


 

Garoto de 13 anos caiu de cabeça nas pedras da represa de tratamento da JBS, no começo da tarde de hoje (19), na Vila Bordon, em Campo Grande. Ele estaria na companhia de um amigo quando foi pular, de uma altura de sete metros, na água, mas acabou errando o local e caiu nas pedras.

Testemunhas disseram que o menino, durante o resgate, estava sangrando muito pela boca e nariz. Segundo o Corpo de Bombeiros, a suspeita é que ele tenha sofrido um traumatismo craniano e o seu estado é considerado grave. 

O garoto mora com a avó e com o pai no Bairro Santa Mônica, ao lado da Vila Bordon. Ambos foram acompanhar o resgate dele. A avó de 72 anos comentou que ele é muito briguento e que até foi expulso da escola e por isso teria ido com o amigo tomar banho na represa. A senhora tem problemas cardíacos e acabou passando mal por conta do acontecimento. 

Um morador da região disse que esta área do córrego Imbirussu, que abastece a represa, tem mal cheiro. “O córrego fede e a água é verde escura de tanto lixo da JBS; Até tripa, restos de animais dá para ver na represa”, disse ele.

O menino foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), sendo encaminhado consciente, mas em estado grave, para a Santa Casa da Capital.

Em nota, a JBS informou que a empresa não realiza o descarte de resíduos no local e que segue a legislação vigente, possuindo todas as licenças que autorizam suas operações. A unidade em questão passa constantemente por auditorias de clientes e órgãos fiscalizadores, e nunca apresentou registro de emissão de odores ou qualquer reclamação dessa natureza.

* Matéria alterada no dia 21/09 às 17h15 para acréscimo da nota retorno da empresa.

 

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...